sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

A INTELIGÊNCIA

“Não sou inteligente, mas vivo observando os inteligentes. Olho tudo o que os inteligentes fazem, e ouço tudo que os inteligentes dizem. Depois saio por aí, e faço; e digo; e olho tudo os que os inteligentes fazem e dizem.Aí, bem, todos pensam que sou inteligente. E, então eu descubro que é ótimo ser tido como inteligente, mas que é terrível saber que não se é inteligente.Afinal, penso, o que será de mim se os que pensam que sou inteligente descobrirem que não sou o que eles pensam que eu sou?Eu não sei, mas acho que se soubesse faria tudo para que ninguém viesse a saber que não sei o que todos pensam que sei. Assim, eu pareceria inteligente. Afinal, tão inteligente quanto ser inteligente é não ser inteligente e convencer a todos de que se é inteligente.”
O texto acima encontrei no livroSILVESTRI, Antoino. A Inteligência da Ignorância. A.G.E. , Porto Alegre, 2007.
Nos meus tempos de menino, todo mundo achava e dizia que eu era inteligente, e eu estava convencido que era verdade. Achava uma coisa natural, afinal, eu era inteligente, pensava: se todos dizem é porque é, principalmente o meu pai e minha mãe, as únicas referências que eu tinha, então era verdade.
Dizem os italianos “si non é vero é bene trovato” ( se não é verdade pelo menos é bem dito).
O adolescente se acha o rei do mundo, somente ele está certo e todo mundo errado, logo ele é a pessoa mais inteligente do globo. Eu não fui um adolescente diferente, fui igual a todos os outros.
Nos exames de Q.I. no ginásio ( Segunda fase do primeiro grau antigo), revelaram que eu tinha inteligência acima da média, ou seja o grau denominado SUPERIOR, mas que está abaixo evidentemente dos chamados BEM DOTADOS e os últimos na linha ascendente que são os GÊNIOS. Em suma, nada de excepcional.
Já na fase adulta, diante da realidade da vida, minhas leituras, meus demais conhecimentos havidos empírica e por tradição revelaram a realidade: eu era uma pessoa . nada mais nada menos do que COMUM.
Não demorei para me deliciar com esta verdade, pois ela me tirava todos os encargos, principalmente o de provar a cada instante que era inteligente. Se não era, não precisava provar nada. Não criava expectativas que jamais se criariam.
Alguém já disse – acho até que fui eu – todo ignorante é feliz. As vezes, ignorar algumas coisas é muito bom. Não raro, as pessoas muito inteligente são chatas. O seu alto grau de sabedoria e conhecimento as colocam numa verdadeira redoma, onde a gente fica somente batendo o bico, sem conseguir penetrar no seu mundinho, os que as fazem infelizes. Às inteligentes prefiro as sensatas, as de pés no chão, com elas sempre aprendo alguma coisa.
Gosto de conversar principalmente com as que de mim discordam, com elas colhe subsídios muito importantes. As pessoas que concordam comigo, quase sempre nada me acrescentam.
Adoro uma polêmica. Sou acusado (injustamente) de as vezes defender posições que não são as minhas só para enfrentar um bom debate, mas são meras especulações maldosas (será?).
Existe uma tese já de algum tempo que fala da INTELIGÊNCIA EMOCIONAL ( tenho um livro sobre o tema). Nele se defende a idéia, correta sob o meu ponto de vista, que a pessoa não é inteligente para todos os assuntos. Ela pode ser inteligente para uma coisa e ser um tolo para outros. Einsten rodou no exame de admissão na faculdade, sabe em quê? Matemática!
Reunindo o assunto inicial com final, acho que no âmbito da inteligência emocional, sou inteligente no sentido de parecer inteligente quando não sou. Não deixa de ser inteligente, não acha?

José Osnir

3 comentários:

Gabi disse...

Oi Pai !!! Parabéns pelo blog! Agora, além de ter a possibilidade de ler diariamente tuas inteligentes palavras, poderei saciar um pouco da minha saudade! Beijos, Gabi.

Lalaith place disse...

HEhheheh bom tio, acho sim que as pessoas mais inteligentes são aquelas que não são inteligentes, mas se fazem precer, mas se fazem parecer sem parecerem prepotentes... Se isso fez sentido é mais ou menos o que penso.
Ms definitivamente concordo com a idéia que não é possível se um gênio em tudo, ou ser inteligente" em tudo, ou todos os campos possíveis. As maiores provas são os grandes artistas, que tinham problemas pessoais incríveis, ou mesmo alguns dos mais famosos filósofos...

Enfim até mesmo Deus é mei humano não? Pelomenos até eu acredito que ele erre algumas vezes.. Prova maior é o Funk...

Heehhee beijos

Ivone disse...

GOSTEI MUITO DESTA TUA COLOCAÇÃO PELO MENOS FOSTE SINCERO!IMTELIGENTE SE NASCE ,NÃO SE CONSTROI A MARTELO!CONTINUE COLOCANDO ASSUNTOS LEGAIS E REALMENTE INTELIGENTES PARA LER,PORQUE O QUE APARECE NÃO DÁ PRA QUERER!BJS

Arquivo do blog

QUEM É ESTE ESCORPIÃO?

Minha foto
PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, Brazil
EU E MINHAS CIRCUNSTÂNCIAS