domingo, 27 de dezembro de 2009

INCIDENTES NO SURINAME

Perguntaram se não falarei sobre os incidentes no Suriname. Respondo que não, pois se trata de assuntos que envolvem diplomacia. E, este assunto, não falo mais, me considero sob censura nesta matéria. Bravateiro e imaturo não pode opinar sobre assuntos diplomáticos.
A Chancelaria brasileira saberá agir corretamente, aliás, como sói acontecer.

O VERDADEIRO OBAMA

Para a imprensa mundial o grande acontecimento do ano de 2009 foi a posse de Barack Obama como Presidente dos EUA. Trata-se do primeiro presidente negro a tomar posse na Casa Branca. Diziam todos que seria um marco na história mundial e que ele tinha tudo para revolucionar aquele país.
Eu torci contra. Não por qualquer atitude racista, pois, não o sou, o que pode ser atestado por todas as pessoas que me conhecem, em especial por meus amigos negros. Entendia, e entendo ainda que o motivo racial é uma péssima motivação para a eleição de um mandatário de uma nação tão importante quanto os EUA, e entendia que McCain seria melhor para o Brasil, pois os Democratas tendem a ser protecionistas.
Grande parte da imprensa americana, e quase toda a nossa, entende que os Democratas representam a esquerda americana, e que os Republicanos representam a direita, reputando a esta última todos os adjetivos depreciativos que alguém possa imaginar. Os Republicanos são uma turma de malvados, e os Democratas a fina flor da democracia.
A verdade é que os Democratas não são esta esquerda que eles imaginam, e os Republicanos não são os malvados que eles apregoam.
Eu achava, e ainda acho, que a eleição de Barack não representaria nem de perto qualquer revolução no sistema americano, e que ele seria somente mais um presidente como tantos outros.
No entanto, Obama tem surpreendido a mim e a eles, só que em situação inversa. O governo Obama tem me agradado e desagradado a eles.
As comparações de Obama com Lula para mim sempre foram absurdas, pois enquanto o primeiro é um professor com Phd, com cinco livros publicados com grande sucesso, a tal ponto de conseguir se manter somente com as seguidas edições destas suas obras; o segundo se mantém somente à custa de um inegável carisma pessoal, com domínio das massas, à base de grandes investimentos em propaganda e adesão da mídia amiga.
A indignação de Chávez com o Obama é indicativo que a política de Barack está correta, os demais seguidores, como Evo também estão nervosos, o que é muito bom.
Lembrei que um amigo dizia: as instituições americanas são tão fortes, que não interessa quem seja o presidente.

sábado, 26 de dezembro de 2009

UMA LUZ NO FIM DO TUNEL URUGUAIO

Eu posso estar enganado, mas pela entrevista que vi na televisão do Presidente eleito do uruguai o senhor José Alberto Mujica Cordano – o Pepe - é um sujeito muito do esclarecido, não tem nenhuma semelhança com os outros broncos da América Latina, e muito menos com o Lula Lá.
O discurso dele é muito coerente, parecido com o Presidente anterior, o médico, que era do mesmo partido.
Acho que o Uruguai, assim como o Chile, continuará tendo uma linha independente, mesmo sendo também de esquerda. A presidente do Chile também tem esta linha sem engajamento.
Entre as coisas que eu achei muito inteligente, foi que não tem intenção de competir com o Brasil, pois o Uruguai é muito pequeno, os orientais deve agir em complementação, exatamente onde o nosso pais não atua. Nessa linha, o Uruguai só tem a ganhar, não entrando em choque exatamente onde o Brasil é mais forte.
Disse que o Uruguai não fará indústria automobilistica, por exemplo, pois o consumo é pequeno e não se justifica.
Em resumo, fiquei encantado com o pensamento de Mujica, e estou apostando no sucesso de seu governo, inobstante a eleição ter dividido o Uruguai exatamente ao meio.
Trata-se de mais um esquerda esclarecido, o que é muito bom. Esta nova onda de esquerda com os olhos no futuro, e não com lanterna na popa é muito boa.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

AQUECIMENTO GLOBAL? É MUITO AZAR.

AQUECIMENTO GLOBAL
Bastou esquentar um pouco, o que normal para o verão, para os ecochatos começarem a falar em aquecimento global.
Estamos nos dias vinte do mês de dezembro e, só agora, aparece o primeiro calor de verdade.
O inverno gaúcho foi frio como sempre e choveu adoidadamente. Que diferença dos invernos antigos? Nenhuma, aliás, uma a gente era mais moço e passava menos frio.
Na verdade, os ciclos de calor e frio sempre se sucederam na terra, ou seja, nada de novo sob as estrelas...
Galileu teria sido um dos primeiro a construir um termômetro. Estamos falando do século dezessete, ou seja, há pouco mais de 400 anos. Mesmo assim as medidas eram totalmente imprecisas.
Somente muito mais tarde se adotou a prática de fazer estatísticas sobre a temperatura dos ambientes da terra, e assim mesmo somente em lugares mais nobres.
Saber as temperaturas com alguma precisão durante longos períodos e em diversos lugares somente no último século.
A terra tem bilhões de anos. Como os ecochatos podem se arvorar em definir a existência de grandes modificações no planeta?
É claro que não sou a favor de imundiciar o planeta como está acontecendo, mas dizer que existe uma grande modificação climática em andamento é muita pretensão.
As grandes geleiras, especialmente as do hemisfério norte estariam se derretendo, o que faz os ecochatos babarem de prazer, pensando que são uma prova de suas teorias, quando na verdade elas derretem e tornam a se recompor em ciclos.
Não é por qualquer motivo que o nome Groenlândia significa terra verde, quando atualmente tem aproximadamente 70 de seu território ocupado pelo gelo. Ninguém chama um verdeiro picolé gigante de terra verde.
Para encerrar uma brincadeira: que azar o meu! A terra tem bilhões de anos, e resolve acabar exatamente durante no meu pequeno período por aqui? Vai ser azarado lá em Marte!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O QUE VALE A PENA

O QUE VALE A PENA
Nestes tempos de Natal, em que todos falam de felicidade, queremos fugir um pouco desta euforia das festas, e tentar entrar neste mundo totalmente indefinido. Dizem todos de estar ou não feliz. Alguns com muita, outros com pouca sinceridade, tanto para um lado como para o outro. Fui encontrar num livro quase novo da Companhia das Letras chamado a FELICIDADE do bom Eduardo Giannetti. Nele, ele conta que um estudo clássico realizado com ganhadores de prêmios vultosos em loterias (média em torno de 500 mil dólares) constatou-se que, passado o “pico” da euforia momentânea, os ganhadores não apresentavam níveis de bem-estar subjetivo distintos dos verificados entre os não-ganhadores e relatavam menor grau de prazer do que antes do prêmio ao realizar seus afazeres comuns do dia-a-dia; efeito simétrico foi observado em prisioneiros condenados a confinamento solitário: após um período inicial de “inferno mental” de cerca de 72 horas, eles passaram a considerar a experiência bastante tolerável.
Onde está o segredo? A felicidade não está no bem estar material, daí a frustração do sujeito da loteria. O cidadão da cadeia simplesmente entrou numa linha de conformismo, ao qual todos quase sempre estamos submetidos. A felicidade está nas pequenas coisas.
Violeta Parra dava “Gracias a la vida que me ha dado tanto/Me ha dado el oído que en todo su ancho/Graba noche y día grillos y canarios/artirios, turbinas, ladridos, chubascos/Y la voz tan tierna de mi bien amado”. Todo o canto de Parra é um hino à vida, fundada nas coisas simples.
Temos tornado nossas vidas muito complexas. Não carecemos deste envolvimento que ocupa todo o nosso tempo. O segredo está nas simples coisas já dizia Tejada Gómez: Ao fín la tristeza es la muerte lenta de las simples cosas, esas cosas simples que quedan doliendo en el corazón.
Para buscar bens materiais deixamos as nossas coisas queridas, e simples: troca ruim. É o sujeito da loteria. As coisas materiais se gastam, se perdem no tempo. Os afetos não, se partem para outros lugares deixam um rastro de saudade, o que é como se estivessem presentes. Isso realmente vale à pena.
Gastemos o tempo fazendo o bem. Essa ação está ao nosso alcance em todo o momento e lugar. Ajudar, alcançar, apoiar, confortar, ombrear, incentivar, aplaudir e torcer são verbos de ação simples e de grande alcance. Eles valem mais que mil presentes caros. Lembre-se disso neste Natal.
Um grande abraço
FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO.
DOS AMIGOS OSNIR E LOURDES

CUIDADO: ÁREA CONTAMINADA

- Eisenhower (Dwight D.) disse, com muita propriedade, que intelectual é um homem que se utiliza mais palavras do que seria necessário para dizer além do que verdadeiramente sabe.
- Lacerda (Carlos) dizia, dentro de sua mordacidade, há pessoas inteligentes que, à força de se deixarem adular, acabam estúpidas.
- Villamarin(David): jamais devemos permitir que alguém, por mais sábio que seja, dê a última palavra sobre o nosso valor de nossa inteligência, pois até os grandes gênios erram.
- Morales (Baltasar Gracian), para finalizar, algumas pessoas seriam sábias se não pensassem que o são.
Tomo a palavra para dizer que atualmente o mundo é dividido entre os intelectuais, os donos da verdade, os sábios, detentores de todo o saber do mundo, e nós os ignorantes, simples mortais.
Não adianta termos opinião, pois não interessa, tem defeito de origem: não sai da cabeça privilegiada de um intelectual, logo, desprovida de qualquer valor.
Trata-se de um verdadeiro “apartheid”: de um lado a intelectualidade de outro nós. Um novo mundo dividido em castas, como na Índia.
Se você está lendo, e é intelectual, delete imediatamente que você pode ser contaminado com a minha ignorância. Imagina se alguém vê você lendo esta página? Que vergonha!
Na hipótese remota de ser pego lendo este blog, disfarce: diga que alguém deixou a página aberta e você somente está ali fechando. Não corra risco, pois pode passar vergonha.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

DORAVANTE: AMÉM.

Sempre gostamos de uma polêmica. Não raro, somos acusados de defender uma idéia que era oposta a nossa somente para discutir com um conhecido ou amigo. Uma forma de aguçar o convencimento e argumentação. Nos últimos tempos, porém, estamos perdendo a vontade de discutir, e até de defender idéias próprias.
As pessoas não ficam mais no campo das idéias para defender as suas. Quase sempre descambam para nos atacar, até moralmente. Se não gostam do que se escrevemos ou falamos, não utilizam argumentos contrários, já nos chamam de ignorantes, de despreparados ou de imaturos.
Assim não vale a pena discutir: preferimos concordar com o interlocutor zangado, e nos retirarmos à francesa. Será covardia? Até certo ponto, sim. Para que sejamos valentes, precisamos, sobretudo, de motivação, e esta está ausente nos últimos tempos.
Entrar numa polêmica somente por discutir, sem qualquer possibilidade de alterar o pensamento do nosso interlocutor ou o nosso é pura perda de tempo.
Por que a gente costuma dizer que não vale a pena discutir futebol, religião ou ideologia política? É fácil: nestes três assuntos não há qualquer possibilidade de mudar a posição de nosso adversário na discussão. Se for certo que terminaremos a discussão exatamente como começamos, então estamos participando da dita conversa fora. E, se existe uma coisa que não gostamos e de jogar conversa fora.
Ainda ontem assistimos a um programa de debate na tevê estatal, onde um jornalista e escritor discutia com um secretário de estado, e, ainda, com um velho professor de jornalismo. Este último falava da soberba dos chamados intelectuais sobre o pensamento dos comuns mortais. O professor foi valente, pois, o mediador do debate é exatamente este tipo de intelectual, onde somente ele está certo, por mais estranha que seja sua posição em qualquer assunto. Ficou ali patente mais uma vez a arrogância a esmagar as pessoas que não fazem parte deste verdadeiro grupo fechado.
Vimos também, no citado programa, uma coisa que nos irrita profundamente, e , até, algumas vezes nos faz sair do sério, o deboche. Não gostamos de gente debochada, mesmo que o deboche seja um tipo artificial, formado exatamente para se fazer notar.
O espaço entre a irreverência e a grossura é muito estreito. É muito difícil achar hoje uma pessoa que se acha irreverente e não caia na armadilha da grossura. Tipos irreverentes puros como Nelson Rodrigues, Moreira da Silva, Chacrinha e até Alceu Collares são cada vez mais raros.
Assim, não nos desafiem mais para qualquer polêmica que não estamos interessados.
É claro que não chegaremos ao ponto do famoso personagem do Jô Soares, o Múcio, o qual usava um jargão “tirou daqui” indicando a boca. Concordava sempre com a pessoa que estava falando, se esta mudasse de idéia ele imediatamente aderia, de tal sorte que sempre ficava de bem com a pessoa que estava falando, mas estamos saindo da raia. Doravante: amém.

domingo, 20 de dezembro de 2009

NATAL

(Texto que enviei aos meus amigos no final do ano passado - Acho que não publiquei por aqui.)
Nestes tempos de Natal as reminiscências são
obrigatórias. E, com elas vêm um pouco de tristeza, um
pouco de alegria; um pouco de saudade, um pouco de
esquecimento. Elas passam em nossos pensamentos como um
filme, uma vez colorido, outra hora preto e branco. Nestas
películas, são protagonistas, coadjuvantes e figurantes
muitas pessoas. Muitos amigos, muitos de nossos afetos.
Muitos saíram antecipadamente, para nossa surpresa e
choque, outros já lhes era hora, se resumindo à tristeza
da perda deste nosso velho e querido afeto. Na verdade,
jamais se foram estão ali, naquele cantinho do nosso
coração, onde fizeram casinha. Vez-em-quando, vamos lá
visitá-los. Não nos atendem na sala, sempre passamos
para a cozinha, tal a intimidade. Falamos dos nossos
problemas, das nossas angústias. Contamos nossas alegrias
e nossos encantos. Relatamos nossos planos, e contamos
nossos feitos e não feitos.
É Natal, tempo do nascer. Nascem nossos sonhos, que são
eternos. Aquilo que embala e ampara nossa razão de viver.
Sonhos alcançados constituem inspiração a novos
sonhos. Sempre lembrando que se deve sonhar com aquilo que
depende de nosso trabalho de nosso esforço e
dedicação. Estes estarão sempre ao nosso alcance.
Jamais nos frustrarão.
Por último quero lembrar que todo o Evangelho pode ser
resumido a uma sentença: AME AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO.
Amando-se ao próximo, não há crime, não há
injustiça. Temos o império do direito, e a
consagração da justiça, que nada mais é do que a
aplicação do bom e do justo.
Que este Natal, além de lembrarmos os ensinamentos do
Homem de Nazaré, razão primeira do “festerê”,
possamos brincar, brindar e nos divertir, dividindo então
com nossos pais, nossos filhos, irmão, parentes e demais
afetos todo um carinho que armazenamos durante toda a vida.
Finalmente, que ao findar de mais um ano do Calendário
Gregoriano, este marco possa significar a renovação de
forças para enfrentar novos desafios. Feliz Natal! Feliz
Ano Novo!

sábado, 19 de dezembro de 2009

PARABÉNS, JOÃO.

Ainda falando da turma de 1979, deixou a Presidência do Tribunal Regional do Trabalho da 4a. Região o Des. JOÃO GHISLENI FILHO, que além de colega é um dileto amigo, assim como também o é sua esposa Dra. VIRGINIA, defensora pública em Porto Alegre.
Prever que a administração de Ghisleni seria um sucesso no Tribunal era tão óbvia quanto prever chuva para São Paulo.
Além do aperfeiçoamento da prestação jurisdicional, conseguiu ainda implementar uma política de aproximação do Tribunal com a população. É o Tribunal indo ao povo e não só o povo ao Tribunal.
Através de audiências públicas por todo o interior do Estado do Rio Grande, das quais assisti algumas pelo canal 20 da Net, conseguiu um canal direto entre as comunidades e o Tribunal.
Pessoa de fino trato - sem ser arrogante - conseguiu com o seu carisma pessoal despertar mais a simpatia da população com a Justiça do Trabalho. Proporcionar que a população olhasse diretamente os olhos do Presidente da Corte do Trabalho foi uma grande e feliz idéia, espero que seja seguida.
Parabéns, João.

COLEGAS NA ADMINISTRAÇÃO DO TJRS




















Ainda falando da turma de DIREITO-UFRGS- 79, ela tem o que comemorar também, pois assumirão a administração do TRIBUNAL E JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL dos eminentes desembargadores que fazem parte do nosso grupo.
São eles o Des. JOSÉ AQUINO FLORES CAMARGO, que assume a primeira vice-presidente do tribunal, e o Des. RICARDO RUSCHEL, que assume a Corregedoria Geral de Justiça.
O ilustre Des. LÉO LIMA, também UFRGS, só que bem mais antigo (1971), assume a presidência do tribunal, e o também ilustre Des. Voltaire Lima Moraes, que foi contemporâneo nosso na faculdade (1977) assume a segunda vice-presidência.
A única que não cursou a UFRGS foi ilustre Desembargadora Liselena Ribeiro que é da PUCRS 1981, que também é faculdade de qualidade, assume a 3a. Vice-Presidência.
O TJRS não poderia estar mais bem servido.


( Na foto: da esquerda para a direita os desembargadores RICARDO, VOLTAIRE, LEO, LISELENA e AQUINO)

TERCEIRA PERDA

Há poucos dias, noticiei aqui, orgulhoso, o sucesso de nossa festa comemorativa dos 30anos de formatura na Faculdade de Direito da UFRGS, alegre encontro que ocorreu no Restaurante Copacabana, no dia 20.11.2009.
Acontece que, para nossa grande tristeza faleceu o nosso colega GUILHERME FONTOURA CRUZ que esteve na festa. Guilherme era advogado em Encruzilhada do Sul, sendo o presidente local da sub-sessão da OAB/RS.
Mais uma perda irreparável do nosso seleto grupo de colegas amigos. É o terceiro desfalque em nossa turma nos últimos meses. Num grupo de 124 colegas, nestes trinta anos havíamos perdido oito. Além da morte que é ruim sempre, o problema se agrava, nestes últimos casos, pois os três tinham menos de 60 anos.
Consta que Guilherme presidia o Clube do Comércio de Encruzilhada do Sul, ou seja, era um homem de mil tarefas.
Uma grande perda para todos nós, para seus familiares e também para todo o povo de Encruzilhada do Sul, onde era muito querido.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

MARCANDO TERRITÓRIO

O tempo em que eu tinha cachorro em casa, me divertia vendo a preocupação do cão em demarcar o seu território a base do xixi. O danado sai pelos quatro cantos do pátio urinando em tudo o que era parede, muro, palanque ou lata de lixo. Pretendia ele demarcar que ali era zona de sua propriedade exclusiva.
Pois o Brasil atualmente - através do magnifico governo Lula Lá - estava fazendo exatamente a mesma coisa. Na busca de marcar uma posição internacional, saímos a fazer xixi nos outros.
A nossa diplomacia entregue aos geniais Garcia e Amorim tem constituído uma política de confronto, que nem de perto condiz com nossa tradição paciência e pragmatismo.
Acho que o Brasil perde.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

NENHUM DE NÓS E THE BEATLES: BIS!

Neste domingo (13.12.09), Lourdes mais eu fomos ao Teatro São Pedro para assistir ao Show do “Nenhum de Nós” cantando BEATLES. Foram duas horas de pura atenção e grandes lembranças. O maravilhoso conjunto de Liverpool foi muito bem representado por Thedy na voz, Sady na bateria, Veco e Carlão nas guitarras, João Vicenti nos teclados, e um convidado – que infelizmente não peguei o nome – no baixo.
O Show começou com Something a inesquecível música que é a marca de GEORGE HARISSON, seguindo-se TICKET TO RIDE, REVOLUTION, HELP e outras, passando por YESTERDAY com Thedy em solo ao violão acústico, algo para emocionar, até encerrar numa apoteose merecida em HEY JUDE.
Eu não conhecia o trabalho do Nenhum de Nós, e fiquei muito impressionado. As grandes bandas de rock do meu gosto passam todas por excelentes músicos, tais como QUEEN, THE BEATLES, EAGLES, YES e PINK FLOYD. Não é possível fazer boas bandas sem bons músicos. Este requisito não falta ao NENHUM DE NÓS. Sady me pareceu o melhor baterista que eu já vi, os guitarristas Carlão e Veco são irrepreensíveis, e João Vicenti é muito bom.
Reservei Thedy para o final. Não tem uma voz maravilhosa. Acho até que ficou devendo em algumas passagens mais exigentes, o que foi compensado com folga pela interpretação e pelo inegável carisma de palco, fazendo um conjunto muito interessante.
Assistimos em sessão extra e última, com o Teatro São Pedro totalmente lotado. A vantagem de assistir este tipo de show em Teatro tradicional é que a gente assiste sentado, podendo ficar admirando o trabalho do conjunto, sem a gritaria normal em espetáculos mais populares, que impedem a gente de saborear a apresentação.
Tenho um método infalível de saber se gostei ou não de um espetáculo: voltaria a vê-lo se tivesse oportunidade? Quando? A resposta no caso do NENHUM DE NÓS: sim, hoje...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

DIREITO E MORAL: UMA SOCIEDADE DOENTE OU SOMENTE INJUSTA?

Outro dia, eu exagerava e dizia que iria por fora todos os meus livros de direito diante de uma decisão pouco ortodoxa do Supremo Tribunal Federal.
Existem obras, no entanto, que não podem jamais ir para o lixo, pois contém lições perenes, insubstituíveis e tão necessárias em nossos dias não de chumbo, mas de lama.
Entre estas obras imortais, sem dúvida, está a Teoria Pura do Direito de Hans Kelsen.
Veja: “...se uma ordem social prescreve uma conduta que a Moral proíbe, ou proíbe uma conduta que a Moral prescreve, essa ordem não é Direito porque não é justa. A questão, porém, é também respondida no sentido de que o Direito pode ser moral – no sentido acabado de referir, isto é, justo -, mas não tem necessariamente de o ser; que uma ordem social que não é moral, ou seja, justa, pode, no entanto, ser Direito, se bem que se admita a exigência de que o Direito deve ser moral, isto é, deve ser justo.”
Todas as roubalheiras dos políticos nacionais são absolvidas pela nossa lei fraca, onde sempre se encontra uma fórmula legal para eximir o infrator da tipificação penal. Todas estas atitudes são reprováveis sob o ponto de vista moral, mas mesmo assim não têm o poder de julgar e punir os infratores. Há sim, uma separação entre o que é legal e o que é moral. Esta distância cria a injustiça, pois a Justiça nada mais é do que aplicar corretamente a lei, simplesmente dando a cada um o que é seu, e por via de consequência tirando o que não lhe pertence. Estamos cada dia mais distante deste ideal.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

TORAZO EM RODEO AJENO

A gente mede a coragem do cidadão não por suas ações em sua casa, mas quando ele sai de seus redutos.
O time de futebol do Grêmio passou o campeonato todo ganhando fácil em casa e perdendo sempre fora.
Teve o melhor ataque do campeonato por golear todo o mundo em casa, e perder por pouco fora.
Não podemos culpar um ataque que faz tanto gol, assim como não podemos culpar uma defesa que é a terceira do campeonato.
O que faltou então: coragem para a turma do meio de campo.
Lembre-se de maravilhoso MARTIM FIERRO de J. Hernandez:
“Yo soy toro en mi rodeo. Y torazo en rodeo ajeno”.
Faltou exatamente isso para o Grêmio: ser “torazo em rodeo ajeno”. Não passou de vaca nos campos alheios. Aí não tinha chance mesmo.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Frustrações

Frustração pela definição simplória de dicionário, tipo Aurelião, significa ser privado de uma satisfação, de um desejo, de uma necessidade. Na verdade, frustração é muito mais do que este conteúdo vazio do dicionarista, ancorado nos limites de um verbete perdido dentro do livrão.
A frustração é muito mais violenta. Ela dilacera, diminui, achata, desmerece, desmoraliza, e, por que não dizer, torna o individuo infeliz.
Já tive centenas de frustrações na vida, algumas leves; outras mais pesadas.
Entre as leves o brinquedo sonhado que não veio.
Entre as pesadas o afeto que se foi para nunca mais, o amigo que partiu sem chances de retorno...
Falarei aqui de frustrações bobas. Quando eu prestava serviço militar, o osso pelotão (30 homens mais ou menos, sob o comando de um oficial tenente) se preparou durante trinta dias para o desfile de 7 de setembro, incluindo por no capricho alguns jipes (Jeep), sem capota que chamávamos de “pererecas”, onde desfilaríamos orgulhosos nossos uniformes camuflados, o que não existia por aqui, pois éramos a exceção dentro exército. Era um pelotão de reconhecimento. O único pelotão de briga de nossa companhia (mais ou menos seis pelotões).
Na véspera do desfile, soubemos que não haveria desfile de carros pela infantaria, e o pior que o nosso pelotão no dia do desfile ficaria de prontidão no quarteirão, como um pelotão de choque, ou seja, um agrupamento armado até os dentes para atender qualquer problema que acontecesse no desfile. Lembrem-se estávamos em 1971.
Outra frustração foi a confusão em que se meteu Collor de Melo e seu “impeachment”. Tinha muita esperança nele. Não me conformo como ele conseguiu botar o governo fora, quando tinha tudo para dar certo.
Uma das minhas frustrações é conhecer tantas pessoas e ter tão poucos amigos. Eu sei que sou exigente nesta matéria, mas mesmo assim o elenco é muito reduzido, e pouco atuante. A comunicação com meus poucos amigos é muito pequena, quase nenhuma. Até na internet, recebo muitos poucos e-mails.
A última é em relação ao blog. Muita gente comenta que lê, mas ninguém se manifesta, quando o fazem são sempre os mesmos. Claro que são bem-vindos, mas gostaria de um leque maior, nem que fosse para baixa a ripa em mim.
De qualquer sorte, as frustrações não são muitas, e sempre as tento minimizar às respectivas importâncias, o que sempre é salutar.

sábado, 5 de dezembro de 2009

“ATRASA EM LA PARICIÓN” OU FICA NA SAUDADE

Quando penso nesta gente que fica mudando de ninho, recordo os sábios versos de José Hernández no inesquecível Martin Ferro:
(761) “No andes cambiando de cueva.
Hacé lãs que hace el ratón:
Conserváte en el rincón
Em que empesó tu esistencia:
vaca que cambia querência
se atrasa en la parición.”
Quem muito pula, acaba caindo ou afundando.
Ou, pior, acaba sozinho, lembrem de José de Alencar ao findar Iracema, a virgem dos lábios de mel:
“Muitas vezes ia sentar-se naquelas doces areias, para cismar e acalentar no peito a agra saudade. A jandala cantava ainda no olho do coqueiro; mas não repetia já o mavioso nome de Iracema. Tudo passa sobre a terra.”

(Matéria de ficção: qualquer semelhança com casos ou pessoas reais terá sido mera coincidência)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

POLÍTICA DE AFAGAR O DRAGÃO

A política externa do governo Lula Lá está colocando o Brasil em risco, principalmente nos episódios de aproximação com o Irã. Ele se assemelha a quem nos anos 40 se aproximasse da Alemanha de Hitler ou a Itália de Mussolini.
A irresponsabilidade neste tipo de política, totalmente desnecessária, pode levar a um confronto direto com antigos aliados nossos.
É evidente que o Irã tem tendências a buscar o desenvolvimento não de energia atômica para fins pacíficos, e sim buscar armas nucleares. Esse tipo de armas estratégicas colocadas em mãos de malucos como o do Irã e da Coréia do Norte é um passaporte ao caos mundial, ou mesmo ao extermínio total do planeta.
O desejo de Lula Lá de se projetar internacionalmente, mesmo que seja a conta de grande risco, está pondo em perigo nossa pobre nação.
O governo lulista está sozinho nesta louca empreitada, mas não liga para as críticas.
Espero que a gente sobreviva até o dito cujo deixar o poder.

NOSSO FUTURO É NEGRO COMO A ASA DA GRAÚNA

A grande vantagem dos poetas sobre as demais pessoas é que eles sempre falam por figuras de linguagem. Ele nunca diz diretamente as coisas. Alguns escritores também assim procedem. Para José de Alencar o cabelo de Iracema não é só preto: é negro como as asas da graúna.
Examinando os últimos fatos como dinheiro na meia; dinheiro na cueca; dinheiro para Panetone e outras safadezas desses nossos políticos, lembrei também de fazer um jogo de palavras para ilustrar o que está acontecendo com esta nossa pátria mãe gentil.
Nós não nos contentamos em chegar ao fundo do poço da canalhice: descemos até lá e nos pusemos a escavar o chão podre e úmido.
Sonho o dia em que nestas escavações ao fundo do descaramento cheguemos a uma rocha que estanque esta nossa infeliz saga.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

AZUMELHO DA ESBÓRNIA*

Na Esbórnia o país da dupla do TANGOS E TRAGÉDIA existem dois times de futebol: um azul, mais antigo, e um mais novo, o vermelho. Pois neste último ano, depois de transcorrido todo o campeonato, resultou que o time de vermelho para sair campeão precisa que o seu arqui-rival, o azul, ganhe de um terceiro clube.
Qual a posição do time azul?Se ganhar desgostará a sua própria torcida, pois dará um campeonato ao inimigo; se perder, será acusado de fazer corpo mole. O pior que a derrota do time azul é o resultado mais provável, pois ele só ganhou uma vez fora. Assim, se o time azul perder, além de sofrer pela derrota, ainda vai ser acusado de prejudicar o outro time de sua cidade.
A posição do time vermelho também é difícil, pois se o azul ganhar, será gozado pelo resto da vida que ganhou usando o time do inimigo. Se o azul perder, verá a chance de o campeonato fugir de suas mãos, depois de tanta sorte que teve ao final do campeonato.
Existe uma variante que não é levada a sério por comentaristas da Esbórnia: a possibilidade e o time vermelho não ganhar o seu próprio jogo.
Yussef Hosnyres – que é torcedor do time esborniano azul – torce para que o time azul perca de cinco a zero, e que o time de vermelho empate o jogo até os 44 minutos do segundo tempo, quando então um jogador do time adversário ponha a mão dentro da área do time de vermelho e o juiz confunda e marque pênalti contra o time colorado, o qual resulte em gol. Nada pessoal, pelo menos será um final divertido.
Ver 90% da crônica esborniana – que é toda do time vermelho, arrancando os cabelos será uma maravilha inesquecível. Estou ansioso para ver o domingo chegar. Será muito divertido na Esbórnia é claro.


* AZUMELHO é a versão esborniana do GRENAL, composto por AZU de AZUL e MELHO DE VERMELHO.

ESSES MÉDICOS...

Hoje, é dia de médico.
Daí eu lembrar algumas verdades sobre o tema.
Médico é um tipo de veterinário que só cuida de um tipo de animal: o homem.
Dizia um velho médico, meu amigo: quer te manter vivo, mantenha-te longe dos médicos.
Os médicos mandam a gente caminhar. Caminhar engorda: só vejo gordo caminhando.
Sebrutamina engorda: só gordo toma.
Desconfie do sujeito que vai ao urologista toda a semana.
Você chega no médico, e lhe impõe:
- Tem que deixar de fumar!
- Mas, Dr., nunca fumei na vida!
- Tem que deixar de beber!
- Não bebo...
- Tem fazer exercício!
- Dr. eu sou professor de Educaçao Física!
- Não pode comer gordura!
- Eu sou vegetariano!
- Mas, é claro, só podia ser isto, está faltando proteína na sua dieta.
- Hã...???

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

DCE-UFRGS


Não sei de quem é a frase, mas é mais ou menos assim: quem não foi socialista quando jovem era um malvado; quem continua socialista depois dos quarenta é um tolo.
Nessa linha, a maioria esmagadora dos universitários, principalmente os jovens é de socialista, pelo menos até comprar o primeiro carrinho 1.0.
Tanto isso é verdade que o Diretório Central dos Estudantes da UFRGS, o famoso DCE, vem sendo dirigido há décadas pelas esquerdas, principalmente as mais radicais como as PCdoB, PT, PSTU e mais modernamente o PSOL.
Costumo dizer que num partido socialista ou comunista onde existam pelo menos dois membros, haverá duas alas. Eles não se entendem em nada. Dividem, sub-dividem, repartem ao infinito.
Pois nesta de divisão, uma ala dos estudantes da UFRGS não esquerdista, neste mês, acaba de ganhar a direção da entidade. É claro que os vencidos não se conformarão.
Podem anotar aí: tentarão desmoralizar a diretoria que assume; tentarão fazer um DCE paralelo e tentarão criar uma nova entidade.
Quem viver verá.

sábado, 21 de novembro de 2009

BATTISTI - LARGUEI...

O Supremo Tribunal Federal conseguiu a maior façanha que eu já vi num tribunal de Justiça: julgou em determinada direção, e decidiu na mesma assentada que quem devia cumprir a decisão não precisava fazê-lo, se entendesse diferente.
Perdoem-me os meus colegas bacharéis a linguagem foi simples e direta para que os não iniciados na arte jurídica entendessem mais facilmente.
Foi exatamente o que o STF fez no caso Battisti. Decidiu pela extradição, para , em seguida, decidir que o senhor Lula Lá não precisa cumprir a decisão.
Larguei: não falo mais no assunto. Depois desta, vou botar todos os meus livros de direito no lixo.

VERÍSSIMO, NO ORIGINAL

Sou um dos maiores fãs de Érico Veríssimo. O que se chamava de Contador de Histórias. Ele entendia que escritor era outra coisa. Ele sabia o que estava falando, pois lidou a vida inteira com literatura, traduzindo os maiores escritores de todos os tempos para a Editora Globo.
Tenho todos os seus livros, alguns até em duplicata. É verdade que não li toda a obra, especialmente os livros mais antigos, que ainda espero ler.
Além de ser escritor era uma figura encantadora, cativava os seus interlocutores, não por outro motivo, quando de sua morte o poeta Drummond lhe homenageou nos seguintes termos:

A falta de Érico Veríssimo

Falta alguma coisa no Brasil
depois da noite de sexta-feira.
Falta aquele homem no escritório
a tirar da máquina elétrica
o destino dos seres,
a explicação antiga da terra.
Falta uma tristeza de menino bom
caminhando entre adultos
na esperança da justiça
que tarda - como tarda!
a clarear o mundo.
Falta um boné, aquele jeito manso,
aquela ternura contida, óleo
a derramar-se lentamente.
Falta o casal passeando no trigal.
Falta um solo de clarineta

Ele tinha um humor fino.
Quando lhe perguntavam por que não se candidatava à Academia Brasileira de Letras, respondia: - Por que me candidatar, se sou quase uma vaga?
Quanto a homenagens dizia: - Os passarinhos dão o tratamento adequado às estátuas...

Por estas e outras razões, tenho um conjunto de fotos de Érico junto à mesa de trabalho de meu escritório, numa simples homenagem ao nosso maior escritor.

REENCONTRO DOS 30

A nossa turma da Faculdade de Direito da UFRGS comemorou ontem no Restaurante Copacabana em Porto Alegre 30 anos de formatura. Estiveram presentes 69 no total, incluindo alguns maridos e mulheres. O jantar iniciou com uns tira-gostos e aperitivos, seguindo com os tradicionais pratos do Copa incluindo massas, vitela, bife enrolado e outras delícias que somente o ele costuma servir. O serviço foi impecável.
Tivemos um telão, onde podemos rememorar outras festas, mais precisamente os 10, 20 e 25 anos.
Além dos colegas - alguns que não víamos desde a formatura - estiveram presentes o nosso paraninfo o Dr. Marco Aurélio Moreira de Oliveira, e o Prof. Homenageado Dr. Armando José Farah. Ambos estavam inspiradíssimos, inclusive contando histórias da velha faculdade ao microfone, fazendo a alegria da turma.
Um dos colegas o Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do RGS Wilson Rodycz trouxe uma publicação sobre literatura da AJURIS para distribuir entre os presentes. De mesma sorte, o nosso paraninfo fez sorteio de cinco livros de sua lavra de nome Justiça e Ética(1).
Algumas presenças emocionaram os presentes, tais como os colegas de mais idade da turma que nunca tinham comparecido aos eventos CONSUELO e JAFET.
A alegria pelo reencontro era evidente no rosto de todos. Os abraços afetuosos, sobretudo evidentemente sinceros, nos deixou a todos emocionados.
O encontro durou um pouco mais de quatro horas, que passaram rápidas demais, numa evidente prova da qualidade da festa. Houve muita pressão dos presentes para que os encontros se deem em espaços mais curtos, e não mais de cinco em cinco anos como tem acontecido.
Fizeram uso da palavra além de mim – como pseudo metre de cerimônias– os professores e João Ghisleni. Em minha manifestação, salientei o trabalho das colegas Maria de Lourdes (Luca) Kops e Virgínia Ghisleni na montagem da festa e de Zulmira, a quem denominei de nossa assessora para assuntos do interior, face à colaboração da mesma na localização dos colegas de fora da capital. Falei também do meu trabalho e de João Ghisleni numa tarefa mais de coadjuvância no trabalho das mulheres.
Ao final, resultou o desejo evidente de “quero mais” a comprovar o sucesso a promoção, o que nos deixou totalmente recompensados.


(1)OLIVEIRA, M. A. C. M. . Justiça e Ética, Ensaio sobre o uso das Togas. 01. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2006. v. 1.500. 201 p.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

MOTIVOS PARA NÃO IR VER O FILME DO LULA

- Não gosto de romances de ficção.
- Não gosto de ver propaganda.
- Não gasto meu dinheirinho em bobagens.
- Não leio e não vejo biografias escritas por puxa-sacos.
- Jornalista a favor de governante só no diário oficial.
- Serei o último brasileiro a não acreditar no Lula.
- Já tem Lula demais na tevê e nos jornais, por que ir ao cinema para vê-lo de novo?
- Por que ir ver uma história que todo mundo conhece?
- Os meus bocejos poderiam atrapalhar o restante da platéia.
- Se o governo já me tira mais de 40% ao mês, por que vou gastar dinheiro para ver o chefe dele?
- Já que ele se compara ao Getúlio Vargas, eu ficaria torcendo para o suicídio no final, e acho que ele não merece.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

FESTA DOS 30

Se aproxima o dia da festa dos 30 anos de formatura da turma de direito de 1979.
Será um jantar no Restaurante Copacabana na próxima sexta-feita, as 21h00min. Teremos uma presença significativa de nossos colegas, incluindo alguns do interior do Estado. Também contaremos com a presença de professores.
Eu, juntamente com Maria de Lourdes, temos participado das organizações desses encontros desde a festa dos 10 anos.
Este tipo de organização é muito complicada, pois passados tantos anos a turma se dispersou pelo país inteiro, o que a cada encontro tem dificultado a montagem dos eventos, os quais ainda têm acontecido graças a persistência e teimosia nossa e de João e Virgínia Ghisleni.
Gosto muito deste tipo de evento, pois é um reviver momentos muito alegres naqueles anos de faculdade. Em cada colega reencontrado, uma história diferente, uma lembrança, um detalhe de nossa história.
Estou esperando ansioso como um menino que aguarda o Natal.

LUQUINHA IMORTAL





















Tinha poucos anos de idade quando ganhei uma camisa do Grêmio. A famosa tricolor com listas azuis, pretas e brancas. Aquela que os colorados costumam chamar de pijama. Lembro diretinho do grande distintivo, ainda no modelo antigo, onde Grêmio se resumia a um "G", no centro vinha a inscrição Foot-ball e abaixo PA. É que no nascimento do tricolor Grêmio significava tão-somente uma agremiação ou clube, Foot-Ball o tipo de esporte praticado pela entidade, e nome mesmo era Porto-alegrense ou portoalegrense.
Quando houve a modificação, o nome Grêmio já era consagrado, sendo exibido no centro, onde antigamente vinha foot-ball; no lugar do "G" o ano de fundação (1903) e abaixo simplesmente FBPA.
Nunca mais comprei uma camisa do Grêmio, pelo menos a com listas. Tive e tenho diversas camisas, mas não adquiri mais a camiseta tradicional.
Hoje, tenho duas camisas oficiais listadas uma que me foi presenteada pelo Dr. Flávio Obino, então presidente do clube, e outra por Edgar Schmitt, bom jornalista esportivo consagrado da praça.
Tenho várias camisas de passeio com distintivos do Grêmio. Algumas delas tenho usado em minhas viagens, inclusive para o exterior. É impressionante como as pessoas identificam de imediato o distintivo. Existem camisas de cores diferentes, mas com um pequeno distintivo, pois as pessoas reconhecem imediatamente. E, já vem sorridentes falar sobre o tricolor comigo. É até um fator de aproximação e também de muito orgulho para mim.
Tenho um sobrino neto, o Luquinha, que está atualmente em Curitiva morando com seu pai e mãe. Pois um dia, vi no orkut ele envergando uma camisa do internacional, e fiquei chateado, pois esperava que fosse gremista como eu e o pai dele - Luiz Henrique. Um dia, estava vendo as novidades da lojinha do Grêmio e vi um pijama tricolor. Pensei vou mandar este pijama para o Luquinha. Pijama é pijama, e ele não vai ligar se é gremista ou não.
Pois na semana seguinte estava ele lá em foto no Orkut orgulhoso com o seu pijama novo. Me enchi de orgulho e já mandei uma nova camiseta do Grêmio para ele. Quando ele veio a Porto Alegre, já levei numa lojinha e dei um camiseta oficial para ele do Grêmio, o que me fez lembrar aquela primeira camiseta que eu tinha ganho há mais de cinquenta anos.
Hoje ele está no Orkut orgulho com o seu "manto" tricolor para o orgulho deste tio-avô gremista.
Um grande abraço tricolor ao LUQUINHA!

ÓDIO AOS APOSENTADOS

Sou um crítico mordaz do governo Lula Lá. Resumo dizendo que se trata de um governo populista, na acepção mais perversa. Um governo que loteou os cargos públicos existentes e criou outros para acomodar a companheirada. Vive da propaganda.
Um lado, no entanto, não consigo criticar muito, pois a demagogia barata dele acaba por beneficiar uma das partes mais pobres da nação que é aquela recebedora do salário família. É verdade que não foi criação dele, como costuma pregar, mas nascida da união de dois programas de FHC: o salário educação e o vale gás. Também entendo que distribuir dinheiro público sem exigência de contrapartida é criar uma casta que se acostumará a receber sem trabalhar. Não existe qualquer incentivo no sentido de incentivar a volta ao mercado de trabalho desta massa.
Dentro desta ótica, encontro uma contradição em Lula: que a resistência ao aumento para os aposentados que ganham mais que um salário mínimo. O salário mínimo hoje é de R$465,00, ou seja, a quantia de R$15,50 por dia nos meses de 30 dias, R$15,00 quando o mês tem 31 dias; e uma verdadeira festa em fevereiro quando aumenta para R$16,60 por dia, e diminui um pouco nos anos bissextos quando atinge somente R$16,03.
O Nosso líder entende que R$15,50 por dia para o trabalhador é o resultado de uma RECUPERAÇÃO do poder de compra do salário mínimo. Realmente é um DINHEIRÃO. Imaginem R$0,64 por hora.
Basta que o trabalhador tome uma garrafinha de água mineral por hora para gastar o tal salário “recuperado”. É claro que não quero afogar o trabalhador com uma garrafa de água mineral por hora, mas é uma miséria só.
Pois o senhor Lula Lá não quer saber de dar aumento além da inflação oficial para os trabalhadores que ganham mais de um salário mínimo. Vejam: não se trata de marajás, mas dos que ganham de um real até cinco ou seis salários mínimos que é o máximo que hoje a Previdência alcança.
A desculpa é que poderia quebrar a Previdência. Ele acha que pagar melhor quem contribuiu 35 anos com o sistema pode quebrar. Mas, de outra banda, fica distribuindo benesses sem nenhuma contrapartida. Querem exemplo: aposentadoria rural, aposentadoria para marido, aposentadoria para militante do MST, pensão e indenização a pretensos perseguidos políticos, ajuda a acampamentos do MST, distribuição farta de recursos públicos a ONGs, e muito mais.
Realmente é um mistério esta aversão aos aposentados partindo do chefe de um partido que se diz dos trabalhadores.
Intrigante também são as chamadas centrais sindicais apoiarem este arremedo de acordo para dar uma miséria de 2,5% no ano que vem, além da inflação. Querem ter uma idéia? Para quem ganha R$1.000,00 significa R$28,00. Como é que os dirigentes de centrais sindicais concordam com esta miséria?
Onde estão os nossos senadores SIMON, ZAMBIASI e PAIM. Onde estão nossos deputados?
Eu tenho feito minha parte. Já falei com Zambiasi e com deputados federais. Todos concordaram. Vamos ver na hora do pega para capar se terão coragem de enfrentar o rolo compressor lulista. Duvido muito.
A patrolhagem dos aposentados começou no governo FHC, o qual fez o maior desserviço aos jubilados que foi o famigerado fator previdenciário. Cujo objetivo aberto era diminuir o número de aposentados precoces, mas que o fundo queria mesmo é diminuir os valores pagos de aposentadoria.
Estes dias vi um deputado – CARA DE PAU – do PT dizendo que a Previdência tinha nos últimos anos “economizado” dez bilhões de reais. Se economizou, alguém pagou. Adivinhe quem?

AURORA DA MINHA VIDA


















Brincando costumo dizer que a única coisa boa antigamente é que éramos mais novos.
Não pensava assim Casemiro de Abreu:

Oh ! Que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras,
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Na foto supra, eu tinha somente dois anos.
Observe que já tinha cara de zangado.
Arrasto esta pecha até hoje.

sábado, 14 de novembro de 2009

RAIOS DA FAMÍLIA MARVEL SÃO RESPONSÁVEIS PELO APAGÃO

A cara de pau da turma do Lula Lá não tem limites.
Leiam a desculpa do diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, em depoimento à Agência Estado: disse ele que três descargas elétricas provenientes de raios, praticamente simultâneas, foram as causadoras do blecaute ocorrido na noite da última terça-feira. Ainda segundo ele cada linha recebeu uma descarga, praticamente simultânea.
Vou traduzir: isso significa que três raios teriam caído simultaneamente, ou seja, ao mesmo tempo sobre as linhas básicas de transmissão causando o “black-out”.
A candidata ungida por Lula Lá, por sua vez, disse que nunca falou que o Brasil estava livre de apagão, mas estava livre, isto sim, de racionamento. Viram só? Vocês não entendem nada de energia. Pelo que se infere das declarações de Dilma a gente tem que se preocupar é quando o governo desliga a luz por querer, ou seja, quando entende que tem de racionar, pois pode faltar,mais adiante. Quando a energia é desligada por incompetência, por exemplo, não é culpa do governo, logo você não pode reclamar nada.
Quanto ao nosso líder, ele adotou a postura de sempre, agindo como se estivesse fora do governo, não tendo qualquer responsabilidade. Não sabe de nada, não viu nada...
Estive pensando: será que os tais raios não são da família Marvel? Um raio para o pai Marvel, um raio para mãe Marvel e um para o filho Marvel. Naquele dia bem que eu ouvi gritos estranhos tipo SHAZAN! SHAZAM! SHAZAN!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

CARÊNCIAS

Não raro, a carência bate às nossas portas. Não é a toa que Gonzaguinha já dizia: Um homem também chora/Também deseja colo/ palavras amenas/ Precisa de carinho/Precisa de ternura/ Precisa de uma braço/Da própria candura.
Quem não sabe disso, não conhece o homem.
A luta pela vida tem embrutecido o homem, mas não consegue lhe tirar o desejo de ser feliz. Deve seguir à busca de seus sonhos, pois estes são o azimute da felicidade.
Precisa de compreensão.
Já dizia Ortega y Gassete: eu sou e minhas circunstâncias. É fácil somente avançar no moranguinho em cima do bolo.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

RAUL É COMUNISTA, MAS NÃO É BURRO

Assisti, perplexo, uma notícia que outrora me trataria uma satisfação, mas que hoje me deu uma tristeza. Falo da declaração de Raul Castro, o irmão de Fidel, de que o governo cubano redistribuiria parte das terras outrora atingidas por reforma agrária de forma privada a quem realmente quisesse plantar, haja vista que cuba está com produção muito baixa.
Trata-se de confissão 50 anos depois da chamada revolução cubana que o regime errou. Ora, o que Raul descobriu agora eu e muita gente já tínhamos descoberto há muito tempo. E, pensar que muitos por aqui têm inspiração em Cuba, especialmente o MST e o PT.
Por que eu digo que recebo a notícia com tristeza? Tristeza por ver o povo cubano enganado todos estes anos. Mais triste ainda de ver que depois da “débâcle” dos regimes comunistas, só agora quando o Fidel está batendo na porta do Pai, é que vem seu irmão contar a verdade para o mundo: Cuba produz somente 5% de sua comida. Não é a toa que as filas e os racionamentos são constantes.
Certa feita Malthus disse que a tendência do mundo era a fome, haja vista que enquanto a produção de alimentos crescia em progressão aritmética (2,4,6,8,10...) a população crescia em progressão geométrica (2,4,8,16,32...) No que Malthus errou? Não contava ele com a produção de alimentos em larga escala pelo agro-negócio.
Pois tem gente que defende a progressão aritmética, pois prega a chamada agricultura familiar, apelido inocente (será?) para a agricultura de subsistência. Se fossemos por eles já estaríamos passando fome.
Até Lula Lá sabe disso, tanto é verdade que se por um lado alcança alguma coisa para o MST, de outro lado, não deixa de apoiar a produção em larga escala.
Acho que não precisarei mais falar sobre Cuba, pois eles já descobriram, depois de 50 anos que fizeram uma grande besteira.

NOTÍCIAS SEM DIPLOMA

- Zé Laia não admite governo de coalização. O distinto não manda mais nada em Honduras e fica fazendo imposições. O governo brasileiro continua cedendo a embaixada para o fanfarrão.
- Yeda quer dar mais dinheiro para quem trabalhar bem. CPERGS é contra, claro.
- Muito gente saiu em defesa das "obras de arte" de Porto Alegre. Eu continuo achando que arte significa o belo ou o despertar de emoções. Parece que sou voto vencido. Foi na bienal e vi como arte uma cadeira de madeira com o sentante todo de pregos com pontas voltadas para cima, tipo faquir. Tem gente que gosta.
- Os colorados ficaram alegres como pinto no lixo, quando o Beira Lago foi escolhido como um dos estádios da copa. Agora, já estão arrependidos, haja vista que descobriram a fria em que entraram. Não vão ganhar um tostão furado para deixar o estádio em condições. Se quiserem dinheiro terão que tomar empréstimo do governo ou de bancos particulares.
- Foram escolhidas a misses "laje". Se tiver o Mr. "laje" tenho um montão de candidatos.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

LULA DEVERIA USAR UNS ÓCULOS QUE O FIZESSE ENXERGAR A MISERIA DO POVO

Minha irmã Ivone, lá de São Jerônimo, interior do Rio Grande do Sul, me contou hoje que estão as voltas com almoço para os pobres.
Entre outras história disse que uma meninha foi buscar almoço para seus sete irmãos. Levou consigo uma pequena vasilha. Evidentemente, não dava para por toda a comida para sete, daí o pessoal improvisou uma bacia.
A meninha disse que tinha ido buscar porque sua mãe estava com a barriga muito grande ( 9 meses de gravidez).
Encerro a história e passou para os jornais Lula está recebendo um prêmio na Inglaterra, pois ele é o cara. Contam que na verdade órgãos governamentais patrocinaram o tal prêmio. Certamente é mentira, pois não consigo imaginar que tenha colocado o dinheiro público em promoção pessoal.
O Nosso Líder e assessores acham que tudo está em mil maravilhas.
O Campo de Força dos bajuladores em volta de Lula não deixam o presidente enxergar a realidade na qual estamos mergulhados.
Tem muita gente passando fome, e o Fome Zero ficou só na propaganda.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

FICA UM POUCO DELE, LEVA UM POUCO DE NÓS

Há alguns dias eu pedia por Ed.
Aparentemente, perdemos pois o nosso Ed faleceu hoje em São Paulo.
Digo aparentemente pois fizemos a nossa parte rezando por ele, torcendo por ele.
Deus tinha para ele, entretanto, outros planos.
Ficará em nossa lembrança aquele largo sorriso, entre a timidez e a alegria.
Agradeço a todos os amigos que por ele rezaram, em especial as irmãs da Sociedade Educação e Caridade de Porto Alegre.
Á Fabiane e aos familiares de Ed um grande abraço de solidariedade e carinho.

MÁGOAS

Quando nasci, num mês de tantas flores,
Todas murcharam, tristes, langurosas,
Tristes fanaram redolentes rosas,
Morreram todas, todas sem olores.

Mais tarde da existência nos verdores
Da infância nunca tive as venturosas
Alegrias que passam bonançosas
Oh!minha infância nunca tive flores!

Volvendo à quadra azul da mocidade,
Minh'alma levo aflita à Eternidade,
Quando a morte matar meus dissabores.

Cansado de chorar pelas estradas,
Exausto de pisar mágoas pisadas,
Hoje eu carrego a cruz de minhas dores!

14.01.1900
In O Comércio AUGUSTO DOS ANJOS

terça-feira, 3 de novembro de 2009

BRUNO

É de Mário Quintana a frase: Senhora, eu vos amo tanto / Que até por vosso marido / Me dá um certo quebranto.
Acontece que quebranto significa estado mórbido atribuído pela crendice popular ao mau-olhado ou ainda abatimento, enfraquecimento, prostração, fraqueza, morbidez. No entanto, pelo contexto, numa leitura mais atenta dos versos de nosso maior poeta, ele disse que ficava com certa queda do marido da amada. Algo como pegar por osmose.
Deixando interpretações de lado, a verdade é que a gente acaba gostando das pessoas que gostam das pessoas que a gente gosta. (Reconheçam que é uma boa frase apesar do cacófato evidente)
Bruno, que aniversaria hoje, começou assim. Eu gostava de Bruno pelo fato de ser namorado de minha filha Gabriela. Com o tempo, porém, ele me conquistou por suas próprias razões.
Não me acuse de corporativismo, pois Bruno também é de Escorpião como eu. Ele tem, no entanto, alguns atributos que eu muito admiro, entre eles os sonhos e alguma dose de ambição.
Ele jamais será um acomodado: é inquieto por natureza. Está sempre bolando alguma coisa para progredir. Sua ambição é do tipo benéfica, pois a busca por seus próprios meios. Esta fadado ao sucesso pessoal e profissional.
Hoje, ele está fazendo 28 anos, desejo a ele, juntamente com Gabriela toda a felicidade que eu possa desejar para alguém. Um grande abraço.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

CHÁVEZ NO MERCOSUR

O MERCOSUL foi uma tentativa frustrada de alguns países da América do Sul de imitar o Mercado Comum Europeu, e sua versão aperfeiçoada e vitoriosa chamada União Européia. Fui testemunha viva da união dos países europeus, onde a gente entra em um deles, e depois vai passando livre para os outros países, como aqui no Brasil se passa de um Estado para o outro. Eles adotaram uma moeda única - o Euro - , que já é um sucesso.
Na verdade, o Mercosul nunca saiu do papel e da imprensa, pois na prática não existe.
Pois, agora, parece que resolveram dar o golpe definitivo no grupo ao convidar e aceitar a entrada da Venezuela bolivariana do Chávez.
Vocês acham que existe alguma chance do Chávez respeitar alguma coisa?
Pois, o parlamento brasileiro está aprovando, pós pressão do governo, a entrada no Chávez.
Acabo de participar de uma enquete feita pela Folha de São Paulo, um dos mais respeitáveis, senão o mais prestigiado do país, onde os que votaram pela negativa de entrada da Venezuela chegam a 70 % contra somente 30% a favor. Um pouco mais que os 25% que acredito seja a força do PT no eleitorado brasileiro.
Somente vejo uma vantagem nesta entrada da Venezuela: vamos nos divertir muito.

AS ÚLTIMAS DO ZÉ LAIA

Uma piada antiga conta que um sujeito chegou num bar, e foi lascando dá um liso de canha e uma colher. O barman estranhou o pedido mas serviu o distinto.
Este tirou um ratinho do bolso da camisa, lotou a colher com cachaça e o ratinho glug: engoliu num trago só. Passo seguinte, ele próprio empinou o copinho de liso.
A cena se repetiu cinco vezes, sendo que na última já podre de bêbado o sujeito grita para todo o bar ouvir: - Aqui neste bar só tem corno. Ato contínuo o ratinho tira o pescoço para fora e grita a plenos pulmões: - E os gatos daqui são tudo veado!!!!
Esta historinha ingênua serve para dizer que quando se tem apoio até os fracos ficam valentes.
Pois o tal Zé Laia está exatamente na posição do ratinho. O Brasil – através da ação desastrada do Itamarati – faz o papel do bêbado. O nosso país do Lula Lá está se prestando para dar coragem ao ratinho, já adrede atiçado por nada mais; nada menos do que o famigerado Chávez.
Agora, sob o patrocínio de Obama, parece que vai sair um acordo. O Zé Laia assumiria a presidência até a eleição de outro presidente escolhido pelo povo. Estou aceitando apostas que não vai acontecer nada disto, e que o Zé Laia vai se perpetuar no poder e perseguir todo mundo que o apeou do governo legalmente.
Os nossos jornais foram na onda e logo acusaram o governo interino de golpista, depois descobriram a verdade, só que não querem dar o braço a torcer.
Eu me divirto esperando para ver como eles se sairão desta, quando o bonzinho do Zé Laia pegar a faixa e não largar mais.

NOTICIAS SEM DIPLOMA

- Notícias sem diploma é uma brincadeira com a exigência de diploma para jornalista.
- O Grêmio e Inter se danaram no fim de semana no campeonato nacional. Os bobos não se deram conta que o maior fator de vitória neste campeonato é o local. Os paulistas estão em seis no campeonato, logo jogam muito mais em São Paulo, do que os outros jogam em seus estados, com isso a diferença a favor deles é enorme. Clubes fora de São Paulo somente voltarão a ganhar campeonatos quando a fórmula mudar ou a vaca fizer bochecha.
- O governo federal quer emprestar dinheiro para os clubes particulares melhorarem seus estádios para a copa. O Grêmio já está fora da bronca, pois vai construir sua arena com dinheiro de uma empresa que ali vai investir. O Inter não pode entrar nesta fria.
-Morro de rir vendo o governo dividir a grana do pré-sal, como se tudo fosse verdade. Petróleo quase na superficie custa até seis dólares para extrair um barril. Óleo a 7000 metros de profundida deve sair a quase cem o barril. Quero ver quem vai comprar, e quem vai nos emprestar o dinheiro para entrar nesta aventura.
- Milhares de portoalegrenses e outros gaúchos foram para a praia neste fim de semana. Depois de andar pelo nordeste conclui: não temos praia, temos só litoral.
- Não consegui ainda ir na Feira do Livro. Vou aumentar a fila de livros esperando para serem devorados por mim.
-Estou começando a ler o novo livro do Juremir. Acho ele um chato. Mas que chato que escreve bem!

GATINHA LINDA, MAS FERA






















Esta é Shana a gatinha siamesa e companheira do nosso Maquinho. Ela é completamente diferente dele, pois é ordeira e metódica. Por outro lado, é uma fera que não gosta que estranhos lhe toquem, e age com violência se tal acontecer.
Quando contrariada fica furiosa. Quando atinge o auge da raiva late como um cão. É muito engraçado. Pensei que era inédito e fui ver na internet, pois existem outros casos afins.
É uma gata muito bonita,com um lindo pelo característico da raça.

MAQUINHO


Já me perguntaram se Maquinho é puro. Eu respondi que sim: puro "cara-de-pau".
Maquinho é o próprio Garfield, mais folgado que calça de palhaço.
Pois Maquinho é o apelido de nosso gato cujo nome completo é Maximiliano em homenagem ao famoso jurista, mas com o tempo, como sói acontecer, passamos a usar a forma simplificada Max, daí para Maquinho foi um pulo, de gato obviamente.
Maquinho tem preguiça de miar, pois mia bem baixinho. Se faz as necessidades na caixinha própria não se dá o trabalho de cobrir como fazem todos os gatos do mundo, quando não resolve fazer fora mesmo, ou seja, não se dá ao trabalho de ir até o lugar próprio. Em suma, o Seu Maquinho é um folgado.
É claro que é um gato grande e gordo, como todo Garfield que se presa.
Ele tem como característica muito bonita uma grande juba, igual a de um leão, o que lhe dá um ar imperial. Tem na ponta da orelha pequenos penachos em forma de ponta, igualzinho aos linces.
Passatempo favorito do Maquinho: torturar a gata Shana, que também mora aqui em casa.

domingo, 1 de novembro de 2009

A SAUDADE ANDA GRUDADA EM NÓS

Quem fala melhor sobre qualquer coisa é o poeta.
Admiro-lhe a forma de dizer as coisas mais simples e as mais complexas.
Foi para falar de saudade que recorri não aos dicionários, como faço sempre, mas não aos poetas, pois, ela não é somente uma palavra, é, antes de tudo, um conceito.
Foi em Luiz Coronel – grande poeta gaúcho – que encontrei na história de Gaudêncio Sete Luas, como Um Canto de Saudades esta última estrofe:
“Pra bem fugir da saudade/eu montei na ventania./Corri mundo e a saudade/na garupa me seguia.”
Que enorme conteúdo tem estes versos!
O poeta quer fugir da saudade – que lhe incomoda. Para fazê-lo sai em disparada. Vai a todos os lugares do mundo, pensando ter dela se livrado. Ledo engano, ela nunca saiu de sua garupa, ou seja, andou onde ele andou...
A gente não pode querer se livrar da saudade. Deve sim ter nela uma coisa boa a ser cultivada.
Não se tem saudade do que foi ruim, por que, então, ter a saudade como um incômodo?
A saudade está vinculada intimamente a doces lembranças. Lembrá-las é viver novamente momentos agradáveis, e certamente de felicidade.

SERÁ MESMO?

O nome de meu blog A VERSÃO DO ESCORPIÃO não é mais do que uma brincadeira, pois não acredito em horóscopo. As teorias para os cálculos dos chamados signos do zodíaco são baseados em falsas posições de astros no cosmo, há muito tempo superadas pela ciência.
No entanto, algumas características do signo de escorpião tem realmente muito que ver comigo, daí eu tê-las adotado como verdadeiras.
Outro dia, entrei na internet para verificar a cerca da origem do meu nome Osnir, e encontrei alguma coisa muito interessante, vejam só:
“SIGNIFICADO DO NOME OSNIR: DEUS TE OUVIU. SIGNIFICADO E ORIGEM DO NOME OSNIR - ANALISE DA PRIMEIRA LETRA DO NOME: O - Sente-se reinando quando está rodeado pela família, e assume qualquer responsabilidade, assim como também resolve todos os problemas e se emociona com todas as situações. É capaz de ficar dias em silêncio curtindo sua mágoa quando alguém o fere. Não é do tipo vingativo, mas é provavel que fique anos sem falar com aquele que o ofendeu. Mas deve tomar muito cuidado para que a manipulação da vida dos outros não se torne uma obsessão. Afinal deve cuidar de sua vida também.
SIGNIFICADO DO NOME OSNIR - SUA MARCA NO MUNDO!
AMOROSA,RESPONSABILIDADE,FRANQUEZA,FACILIDADE DE ADAPTAÇÃO,SERENIDADE
A pessoa de personalidade 6 transmite desde muito cedo seu lado afetuoso, muita beleza e harmonia. Sua serenidade passa sempre a impressão tranquilidade mesmo diante das tormentas. Seu jeito bondoso de ser faz com que todos busquem seus conselhos. E o senso de justiça é o que faz buscar sempre a verdade. Busca um comportamento que esteja acima de qualquer julgamento, e não aceita companhia dos que não agem de acordo com suas convicções. Exemplo de honestidade e equilibrada, busca agir sempre com imparcialidade. Excelente anfitriã, e gosta de ouvir tudo o que as pessoas têm a lhe dizer. Cerca-se sempre de conforto e qualidade. São muitos os pontos positivos, mas frequentemente corre o risco de ser vista como orgulhosa. Driblar este aspecto torna-se fácil quando aprende o valor da compreensão e a perdoar os erros dos outros. “
Deixo de colocar a autoria do artigo, pois não consta da internet, mas é bem interessante. De qualquer maneira, coloquei o texto todo entre aspas.

TEMPOS DE SAUDADE

Quando era apenas um garoto, acompanhava meus pais aos cemitérios. Tínhamos poucos túmulos para visitar aqui em Porto Alegre, pois éramos forasteiros. Nossos familiares mortos estavam lá em São Gabriel, donde saímos no lombo de uma velha Maria Fumaça. A maioria deles nem meus pais conheceram, ou pouca convivência tiveram.
Lembro de minhas visitas a um cemitério no campo, em minhas idas de férias à Terra dos Marechais, chamado Cemitério das Canas. Embora eu tenha procurado as tais canas em volta do cemitério nunca vi. Era um cemitério pequeno no meio de campos, em coxilhas que se iam subindo e descendo. O silêncio ali era arrepiar os cabelos do braço. O silêncio amedrontava principalmente as crianças.
Um barulho, porém, me marcou: as pessoas colocavam muitos enfeites de latas nas sepulturas, e elas batiam com o vento. Nunca me esqueci daquele barulho insólito. Até hoje abomino aqueles enfeites que existem em lojas de presentes ou antiguidades, compostos por pequenas barrinhas que batem ao menor sinal de vento. Lembram os barulhos do cemitério da campanha: Cemitério das Canas. Soa para mim como mau presságio. Sei que é bobagem, mas faço uma relação subconsciente, inevitável, portanto.
Nunca esquecerei quando um dia vínhamos de uma visita a uma fazenda no interior de São Gabriel, quando encontramos um caminhão com um caixão bem no meio da carroceria, e o povo em volta. Paramos e o caminhão também, descobrimos que o morto que era um nosso parente, casado com uma tia de meu pai. Imagem que não poderia deixar de ficar gravada em meu cérebro de menino.
Não gosto de ir a cemitérios em dia que estão cheios, como o dia de finados, embora quase sempre cumpra o ritual. Acho que este tipo de visita é muito íntima para ser compartilhada com muita gente.
Geralmente vou até lá quando não tem ninguém. Sei e sinto que as pessoas não estão ali, nem meus fantasmas. Aliás, há muito tempo que não me visitam, embora ainda os sinta me protegendo, pelo que lhes sou muito grato, e certamente eternamente o serei. Acho por meu lado, também não os tenho decepcionado, pois continuo a mesma pessoa que eles conheceram, com todos os meus defeitos e alguns atributos. Certamente não os tenho feito passar vergonha, onde quer que estejam. Acho que na hora da prestação de contas certamente terei muito pouco a saldar.
Como um filme todos os meus afetos passam por meu pensamento, nem os ideais de fé me consolam de não vê-los mais. Tem gente boa de mais neste rol de saudade. O tempo disfarça mas não afasta o nosso inconformismo.

sábado, 31 de outubro de 2009

PREVISÕES DE NHÔ HOSNYR

Não raro, baixa em mim um caboclo que prevê o futuro.
Nhô Hosnyr faz previsões, as quais dão certo em 99% das vezes.
Fiquem tranquilos, pois o 1% que Nhô Hosnyr costuma errar se refere a área do futebol, o que não tem a mínima importância pois não é assunto sério.Por exemplo: Nhô Hosnyr previu que o Grêmio empataria o Grenal em zero a zero. Pois o imortal perdeu.
Em matéria política Nhô Hosnyr acerta sempre.
Pois, esta semana, quando o governo provisório de Honduras e o presidente deposto fizeram um acordo, sob a vara de Obama, Nhô Hosnyr previu que Zelaya voltará ao poder, mas não cumprirá acordo algum. Vai dar um jeito e se perpetuar no poder, sob o manto protetor dos demais governetes da américa latrina, incluindo Chávez, Evo e outros menos famosos.
A constituição hondurenha proibe a reeleição, mas isto não tem o mínimo interesse aqui na AL, tanto é verdade que o Zelaya foi apeado do governo legalmente e todo mundo chama o governo provisório de "golpista". Não interessa que a proibição seja cláusula pétrea, pois a gente desta "laia" não liga à minima para isso.
Até aqui, onde parece que neste campo a coisa é mais séria o FHC mudou as regras do jogo, em andamento, tascou a possibilidade de reeleição, sendo que o PT foi contra e quando assumiu o poder foi a favor. Por falar nisto, FHC em quem eu confiava já me fez três bobagens que não perdoo: primeira, a reeleição; segunda, fator previdenciário; terceiro a favor da discriminilização das drogas.
Quanto a isto, Nhô Hosnyr já se manifestou, dizendo que a reeleição no Brasil vai continuar, pois o governo que está não quer largar o osso, e os que virão também não terão vontade nenhuma de largá-lo; sobre o fator previdenciário, vai continuar, pois por motivos que eu não sei Lula Lá também não gosta de aposentado; na última, a chance de discriminilização das drogas é a mesma de Olívio ser nomeado novamente Ministro de Lula, ou seja, zero.
Quanto às eleições para presidente Nhô Hosnyr prevê grande surpresa da metade do ano que vem em diante. Quem viver verá.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

DEUS SALVE O URUGUAI- OU URUGUAIOS SALVEM-SE

Não faz muito tempo escrevi que existiam na América Latina ( ou latrina como diz com muita propriedade Mendelski) somente dois presidentes de qualidade para comandar estas pobres nações: Tabaré Vazquez e Michele Bachelet, do Chile e do Uruguai, respectivamente.
Considero o Uruguai ainda um belo país, apesar dos percalços dos últimos anos, e o Chile a única nação civilizada da América do Sul. Fortes nestas suas potencialidades resistiram até agora os cantos de sereia do ranço esquerdista-populista que por aqui graça.
Tanto Bachelet como Vazquez são profissionais médicos, com experiência executiva, pessoas de grande cultura e saber.
Pois, não é que um deles, o Uruguai, está prestes a se filiar aos países dominados por governantes populistas, de grande prestígio entre as massas sedentas de mudanças, mesmo que seja para pior, sustentados por organizações civis como igreja, ONGs e movimentos populares de inspirações, no mínimo, duvidosa como MST.
O Uruguai no último fim de semana quase que elegeu em primeiro turno o cidadão de nome José Alberto Mujica Cordano – o Pepe - foi salvo pela candidatura do ex-presidente, um advogado de 68 anos, atual vice-presidente do Senado, Alberto Lacalle, que levou a eleição para o segundo turno.
A esperança é que os demais candidatos de oposição consigam transferir seus votos a Lacalle, salvando o Uruguai de se tornar mais um do grupo do Chavez, também conhecido como Chapolin Colorado.
Tal como Luis Inácio LULA da SILVA, o candidato da Frente Ampla e ex-tupamaro gosta de encaixar em seu nome do apelido PEPE: José Alberto Pepe Mujica Cordano.
Um filme já visto aqui por esta pampa, e que a gente não sabe por que começou e muito menos como vai terminar, se vai...

domingo, 25 de outubro de 2009

POR ED

Os poetas pensam em tudo.
Também se preocupam com os que teimam em querer partir cedo, apesar de todos os nossos esforços, incluíndo nossas orações.
Não sem motivo os versos de Drummond:
"Que a terra há de comer./Mas não coma já...
O tempo de conhecer mais algumas pessoas, de aprender como vivem, de ajudá-las...
E a tristeza de deixar os irmãos me faça desejar partida menos imediata..."
Cada vez que tenho uma pessoa minha amiga ou parente em dificuldades penso nos versos do poeta.
Ele - poeta - aparentemente já se foi, mas nos deixou uma mensagem.
Ela é boa, mas está faltando uma coisa muito importante: temos que fazer nossa parte para que eles não se vão tão cedo.
Um pouco de torcida; um pouco de orações; uma palavra amiga na hora certa; um pensamento positivo, e, por que não o aliciamento para que outras pessoas se aliem nesta nossa empreitada tão nobre?
Neste sentido, peço a todos os meus amigos que rezem por ED, namorado de Fabiane minha sobrinha que está passando por um período muito difícil, mas que - graças a Deus - tem melhorado nos últimos dias. Trata-se de um rapaz muito legal e divertido que merece as nossas orações.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

PESSOAL DA ACM

Para quem não sabe ACM é a ASSOCIAÇÃO CRISTÃ DE MOÇOS, onde tenho dado palestras no curso de Técnico em Transações Imobiliárias.
Hoje, abusei e fiz propaganda deste blog.
Aos que tiverem acessado um grande abraço, e espero que não os tenha decepcionado.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

ESTOU ENTRANDO EM FÉRIAS DE CRÍTICO DO LULA LÁ

Eu estava lendo a Folha de S.Paulo de hoje, quando levei um susto com a seguinte manchete:
"No Brasil, Jesus teria que se aliar a Judas", diz Lula. No corpo da notícia continua "O presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que até Jesus teria de chamar Judas para fazer coalisão, se fosse eleito para governar o Brasil."
Considerando o histórico, entendo que Judas é o traidor, logo Lula Lá entende que é normal fazer acordo até com traidor para chegar ao poder.
Realmente ela não pode falar de improviso. Os assessores dele devem ter ficados por conta com ele. Que tiro no pé.
Os aliados também não devem ter gostado nada do que ele disse. No mínimo, os chamou de Judas.
Com este tipo de manifestação estou entrando em férias de meu papel de crítico, pois ele faz o serviço para mim.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

MAIS UM QUE FOI MAIS CEDO

Ninguém fez um conjunto de músicas de tanta qualidade; ninguém escreveu letras tão maravilhosas a ponto de espetar até o último pedaço de meu coração quanto Gonzaguinha.
Em Sangrando, por exemplo, quando em confissão diz:
Quando eu soltar a minha voz/ Por favor entenda/Que palavra por palavra/Eis aqui uma pessoa se entregando.
Segue em dor falando:
Coração na boca/Peito aberto/Vou sangrando/São as lutas dessa nossa vida/Que eu estou cantando.
Brota sinceridade em:
Quando eu abrir minha garganta/Essa força tanta/Tudo que você ouvir/Esteja certa/Que estarei vivendo.
Agora a explosão de emoção:
Veja o brilho dos meus olhos/ E o tremor nas minhas mãos/E o meu corpo tão suado/Transbordando toda a raça e emoção.
Retomando a força de sentimento, chora:
E seu eu chorar/ E o sal molhar o meu sorriso/ Não se espante, cante/Que o teu canto é a minha força/Pra cantar.
Encerra dizendo que o seu canto é expressão pura de amar:
Quando eu soltar a minha voz/ Por favor, entenda/É apenas o meu jeito de viver/O que é amar.
Gonzaguinha morreu cedo. Tinha tanta vida interior que não cabia nesta nossa vida externa, por isso foi chamado mais cedo.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

FALTA GRANA: MAIS IMPOSTOS...

Não dá para desprezar a inteligência da turma do Lula Lá.
O Tesouro está raspado.
Não há dinheiro para devolver a grana do imposto de renda.
Solução: mais impostos.
Taxa-se o capital estrangeiro. Como é I.O.F.(imposto velho) não precisa esperar novo ano fiscal.
Como os nacionais precisam que este dinheiro continue por aqui, vão pagar mais.
Advinhem de onde vão tirar este tutu para pagar mais aos estrangeiros e manter os capitais por aqui? He he he, como voce adivinhou tão rápido?

ELOGIO À INVEJA

Não é sem causa que a última palavra de Os Lusíadas do meu parente Luiz Vaz de Camões é enveja. Embora tenha quem diga que não se trate da mesma coisa, pois enveja seria mais do que inveja, a maioria entende que são sinônimos, e que enveja seria a forma do português arcáico. Camões – como grande escritor – sabia que a última frase de uma obra sempre é a mais importante; se escolheu como último vocábulo, certamente tinha lá suas razões.
(Canto Décimo – 156 – Fico que em todo mundo de vós cante,/ De sorte que Alexandre em vós veja,/Sem à dita de Aquiles ter enveja.)
Inveja na verdade é um pesar pessoal pelo fato do outro ter ou ser alguma coisa que eu não tenho ou não sou. Por que ele tem, e eu não? Por que ele é, e eu não sou?
A inveja nunca é um sentimento verbal ou explícito, fica sempre em nosso subconsciente, raramente se exterioriza, e quando o faz é de forma violenta.
Não se pode confundi-la com outra atitude que é a competição, esta salutar, a qual pode mover a vontade a tal ponto de fazer progredir a pessoa como ser humano.
Certamente causarei espanto - e talvez alguma irritação – mas afirmo gostar que eventualmente alguém de mim tenha inveja. Por quê? Ora, ela antes de tudo é um elogio: alguém acha que de certa forma sou superior. Pode até não ser verdade, mas alguém acha. Se ela tem caráter material, ou seja, se a pessoa tem inveja de alguma coisa que eu tenho, está reconhecendo que fiz boa escolha, o que também é laudatório.
A inveja somente se torna nociva quando explícita, a ensejar ações destrutivas.
Os pecados capitais são sete: inveja, avareza, soberba, luxúria, gula, ira e preguiça. Destes sete, quatro se voltam contra a própria pessoa: avareza, luxúria, gula e preguiça; e três contra outras pessoas: soberba, ira e inveja.
Na soberba, me acho o maioral – o boss – na ira, descarrego meu ódio contra os meus próximos, já na inveja sou menos agressivo, silencioso e até reverenciador.
Por tudo isso, como odiar os invejosos?

domingo, 18 de outubro de 2009

500 TEXTOS


Estou comemorando minha publicação 500 no blog, em um ano e sete meses.
Neste tempo, tenho tido mais alegrias do que tristezas.
Entre as alegrias: - Por que não tens escrito no blog, eu abro todos os dias e não vejo texto novo?
Entre as tristezas: - Não tenho lido, é que tenho estado muito ocupado(a)...
Fico mais contente que pinto no lixo quando recebo uma mensagem de pessoa que não conheço. Mais contente fico por poder dizer que jamais recebi alguém me desaforando ou me ameaçando.
É claro, e normal, que já tenha recebido mensagens de pessoas discordando de meus pensamentos aqui expressados, até por que não sou exatamente o que se pode chamar de imparcial, pelo contrário faço questão de expor meus pontos de vistas exatamente como são, sem qualquer tipo de maquilagem.
Quero, por último, agradecer a todos os que me prestigiaram durante estes 500 textos, bem assim, aqueles que ao longo do tempo foram aderindo.
Em tempo, quero dizer que ponho este blog à disposição de todos os amigos que não tem o seu próprio blog para aqui publicar seus textos. Evidentemente não farei qualquer censura e publicarei na íntegra com a respectiva autoria.
Em homenagem a publicação 500, estou publicando também a foto que ilustra este texto, tirada no 80o. andar do EMPIRE STATE BUILDING em Nova Iorque no ano passado. É uma das minhas fotos preferidas, daí querer dividí-la com todos os leitores.
Muito obrigado.

Opera et impensa periit

Tem gente que acha ser perda de tempo escrever em um blog.
Para esses respondo que já tenho prazer no escrever, e que se alguém me lê é um plus, já que me sinto gratificado pela simples graça de poder criar estes modestos textos.
Conta a lenda que Augusto (um dos césares)ao voltar para Roma depois de uma de suas campanhas guerreiras encontrou um cidadão com um corvo que dizia "Ave Caesar, victor, imperator". Algo como Salve César, o vencedor, imperador. Augusto se empolgou com a ave e comprou-a por 20.000 sestércios ( o que era uma grana).
A história se espalhou, e como a turma daquela época não era nada diferente da que vive hoje, todos os dias alguém queria vender um corvo para o César.
Contam, ainda, que um certo sapateiro tentou ensinar o seu corvo a dizer a saudação, mas a ave se negava. O sapateiro cansado da jornada inglória sempre acrescentava: "Opera et impensa periit" ( em tradução livre: perdi meu tempo e meu trabalho).
De tanto o sapateiro insistir, um belo dia o corvo aprendeu a saudação: "Ave Caesar, victor, imperator".
Um dia Augusto passou na porta do sapateiro e ouviu a frase, e respondeu:
- Tenho em minha casa muitos destes lisonjeiros (puxa-sacos).
Foi ai que o corvo lascou: "Opera et impensa periit."
Augusto achando graça comprou o corvo por valor bem maior do que pagará pelos outros.
A minha fonte encerrava dizendo: "Si non è vero..." ( si non è vero è bene trovato ou seja se não é verdade pelo menos é bem dito)

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

Não raro, alguém me pergunta se os textos que publico aqui no blog são meus.
Principalmente, quando fujo da prosa para tentar outras formas de expressão.
Quero esclarecer para os meus amigos que todos os textos que publico, ora em forma de crônica, artigos, comentários ou até ensaios são de minha autoria. Obedeço rigorosamente à lei dos direitos autorais, e ponho com aspas, negrito ou travessão tudo o que não é de minha autoria. Bem assim menciono o nome – quando sei – e a fonte.

sábado, 17 de outubro de 2009

COMIDILLAS CUBANAS¹

"Cuba enfrenta dificuldades para manter subsídios e pode cortar distribuição social de comida". Acabo de ler esta manchete no site do Clóvis Duarte. Durante muitos anos Cuba viveu às custas de uma mesada que a URSS lhe passava. Com o final do regime comunista soviético, a grana foi cortada. O Coma Andante arranjou outro financiador que foi o Chavez. Como este último também não deve andar muito bem de fundos, certamente deve ter cortado parte da pensão. Assim é que Cuba deve estar fazendo água.
Mas eu tenho a solução para o problema de comida em Cuba: basta que peçam ajuda para o MST. Certamente, com o excedente da produção dos assentamentos, poder-se-á atender, com folga, toda a população cubana.
Com esta minha brilhante idéia resolve-se dois problemas: o primeiro, a falta de comida para os cubanos; o segundo, o excesso de produção dos assentamentos.
Lembrei, por último, outra solução: nos anos 70 uma gurizada de esquerda aqui do Brasil resolveu ir para Cuba cortar cana, com o intuito de auxiliar o regime castrista a se manter no poder, poderiam agora eles, já um pouco mais velhos e experientes, ir para Cuba plantar hortaliças e legumes para auxiliar a mesa dos cubanos.

(¹)Comidillas: fofoca.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

ESCORPIÃO KUHN

Você sabia que o meu mascote é um escorpião.
Ele tem a vantagem de diagnosticar e/ou prever o tempo.
Se o escorpião está molhado: está chovendo.
Se o escorpião está seco: tempo seco.
Se o escorpião está balançando: tempo com vento.
Se o escorpião está gelado: muito frio.
Se o escorpião está quente: muito calor.
Se o escorpião começa a sacudir muito: terremoto.
Se o escorpião sai voando por ai em círculos: tornado.
Se o escorpião estiver à beira -mar e for levado pelas ondas: tsnunami.

AS CUECAS DO SENADOR

Não sei por que a polêmica em torno da sunga vermelha do Suplicy.
Em primeiro lugar, o fato de usar sunga não causa problema nenhuma a qualquer homem; em segundo lugar, se a sunga é vermelha está de acordo com a ideologia dele.
Talvez o único problema seja o estético, pois usar a tal sunga por cima da calça, ao invés de por dentro dela, fica muito esquisito e feio.
Se fosse outro senador eu ficaria espantado, mas o pai do Supla e ex-marido de Martha, nenhum problema, é natural.
Mas um pouco e estará pronto para ser candidato à Presidência.

ESCREVINHADORES ESTAS ESTRANHAS PESSOAS

Escrever é uma ciência.
Não creio que escrever difícil seja bem escrever.
Escreve bem quem se faz entender.
Acho ruim a leitura quando o leitor tem que usar um manual de instruções para entender o escriba.
Reconheço que o escrevinhador, como eu, que se utiliza de linguagem coloquial (aquele que utiliza a mesma linguagem na fala e na escrita), tem muito pouco prestigio.
Não raro, recebo elogios do tipo:
- Muito bom, simples, mas bom.
Traduzindo: este texto é muito simplório.
É claro que em escritos técnicos, principalmente na área do Direito, onde exerço a maior parte do meu trabalho, é necessária uma linguagem mais bem elaborada, com palavras guardando um ar mais erudito.
Vivi durante muito tempo em ambientes onde circulavam mestrandos e doutorandos em Direito.
Era muito divertido.
Objetivo não era objetivo, era desiderato.
Não existia introdução, mas escorço.
Acima virava supra, abaixo transformava-se em infra.
Petição (requerimento) inicial virava “peça pórtico”; exordial; peça introdutória, e outras bobagens afins.
Essas tentativas de falsa erudição se espalham em toda a sociedade. No edifício onde a Lourdes tem escritório, o primeiro pavimento está marcado no elevador com a letra maiúscula “A”, quando o normal seria “T” de térreo ou “1” de primeiro pavimento. Intrigado perguntei ao porteiro, e ele me respondeu, não sem ironia, “A” de átrio.
A loja da Varig que existia na Praça da Alfândega, aqui em Porto Alegre, resolveu colocar nas suas portas a expressão: “push”. Ora, “push” em inglês significa empurrar, enquanto o nosso puxe tem o significado exatamente inverso. Não precisa ser muito esperto para entender a confusão nas portas da loja. A companhia teve que alterar os cartões e colocar tudo em português.
Algumas inovações tecnológicas que vieram facilitar a vida dos profissionais podem, no entanto, trazer transtornos. Os advogados têm acesso ao andamento dos processos junto aos diversos foros. O problema é que o acesso é público. Daí que as partes também têm acesso, e a partir disso têm infernizado a vida dos bacharéis.
- Doutor, que maravilha, o meu processo terminou.
- Como terminou? O seu processo está com o juiz.
-Mas doutor o senhor não viu na internet que o processo está CONCLUSO.
O advogado passa duas horas do seu precioso tempo explicando para o cliente leigo que CONCLUSO, na linguagem forense, significa que o imóvel voltou para o juiz, não significando, com isso, fim do processo.
O causídico deveria dizer ao neófito que o feito tão-somente fora concluso ao emérito julgador para algum despacho de mero expediente, não se trata, contudo, extinção da lide, em linguage rebuscada.
Ou, como diria um presidente de um país sul-americano que o cliente do adeva deve esperar sentado num banquinho, pois o processo vai de morar para C....

CONJUGANDO PÁSSAROS E FLORES

EU VI A FLOR NO JARDIM;
ERA BELA E COLORIDA;
TAMBÉM PÁSSAROS POR ALI PASSAVAM.

EU POUCO VEJO A FLOR SE AINDA TEM NO JARDIM;
TENHO RARA CHANCE DE VÊ-LA BELA OU COLORIDA;
RAROS PÁSSAROS INDA PASSAM POR AQUI.

EU NÃO VEJO MAIS A FLOR DO JARDIM
NUNCA MAIS ESTARÁ BELA, NEM COLORIDA
NENHUM PÁSSARO MAIS PASSARÁ POR ALI.

Sonhos

O motor da vida é o sonho.
Sonhos alcançados: novos sonhos criados;
Sonhos alcançados: novos sonhos criados;

Disse Martim Luther King:

“Sonhar que meus cabelos, que rareiam e branqueiam são impedem que minha mente e meu coração sigam jovens, e ainda seguem meninos...”

Ontem recebi de meus alunos um grande elogio, diante de meus quase 57 anos. Falavam eles do que chamaram de “meu pique”.
Na verdade, se estou envelhecendo, o problema é que alguém se esqueceu de me avisar.

Já sei: receberei críticas do tipo: Narciso ¹ acha feio o que não é espelho...
Caetano Veloso lembra em SAMPA, um hino à capital paulista, “
Quando eu te encarei
Frente a frente
Não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi
de mau gosto o mau gosto
É que Narciso acha feio
o que não é espelho
E a mente apavora o que ainda
Não é mesmo velho

(¹) Mito Grego que conta a lenda de alguém que se achava tão belo quanto os deuses.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

POBRE POVO!

Minha tia teve um problema de saúde e foi para um hospital da cidade.
Lá ficou três dias na emergência à espera de um leito.
Como a emergência estava cheia, não havia nem maca para ela aguardar pelo menos deitada, sendo assim ficou grande parte do tempo sentada numa cadeira de rodas, incluindo o período da noite.
Lembrei que Lula Lá disse que o nosso sistema de saúde estava se aproximando da perfeição. Cheguei até a consultar o dicionário, pois fiquei preocupado com o risco de ter esquecido o significado de perfeição. Aurélio Buarque de Holanda me disse que o significado continua o mesmo.
Por outro lado, revendo as crônicas do Paulo Sant’Anna sobre as Olimpíadas sou obrigado a concordar com ele: o Brasil não pode gastar bilhões de reais com jogos olímpicos e deixar o seu povo morrer nos corredores de hospitais.
Os brasileiros devem rezar todos os dias pelos nossos médicos – verdadeiros heróis- a improvisar todos os dias, numa luta pela vida da população, enquanto os políticos só pensam dar circo ao povo.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

De 18 do Forte a Itararé: resistência a Lula Lá.

Hoje eu estava pensando sobre o célebre 18 do Forte de Copacabana. Episódio ocorrido em 1922, onde Siqueira Campos e outros 17 resistiram a uma tropa contrária, tendo sobrevivido somente dois; o próprio e Eduardo Gomes, os demais morreram no enfrentamento ou em conseqüência dele.
Pois com o crescimento dos favoráveis ao Lula Lá, quase chegando aos 100% de aprovação, em pouco tempo nós – os contras – não seremos mais que os 18 de resistência tal como os do Forte.
A adesão da Globo, tal como a de Sarney & Cia tem um papel muito importante neste crescimento sem par de Lula Lá.
Campanha a favor pode eleger até Lobo Mau para dirigir creche, por outro lado campanha contra pode falir até Rockefeller. Temos que ter muito respeito pela propaganda governamental, pois nunca vi tanta grana em propaganda institucional.
Antigamente, se dizia que jornal a favor do governo só diário oficial, agora os interesses meramente comerciais são mais importantes.
Lula Lá dá um sarrafo na imprensa escritura, principalmente os grandes jornais, mas eles continuam a propagandiar o governo do nosso líder.
Todos os dias sai uma notícia laudatória, cuja veracidade não dá para os simples mortais conferir, tipo: classe média aumentou. Como que você pode conferir um tipo de notícia desta?
Hoje, parecem mais filiais do Granma (ou seria Gramna) de Havana.
Não é à toa que todos odeiam Carlos Lacerda, que dava pau em tudo que era governo. Barão de Itararé também fazia a mesma coisa, mas este eles acham que era simplesmente humorista.

domingo, 11 de outubro de 2009

ERA UMA VEZ UM JARDIM..

Era uma vez um jardim. Ele tinha o que tem em todo jardim: grama, arbustos e flores. Algumas pedras...
O que tinha de diferença de outros jardins? Era o meu jardim.
Um dia fui embora para muito longe, e deixei lá o jardim sozinho.
Deixei boas coisas sobre o jardim. E, em baixo dele.

Vez-em-quando penso no jardim.
Será que ele continua lá como deixei?
Será que alguém cuida do jardim - que um dia foi meu?

O importante é que ele continue a existir.
Embora não seja mais meu.
Quem ama o jardim, não se importa que outros o cuidem.

VERMELHOS SÃO TODOS IGUAIS

Em uma coisa os colorados são parecidos com os petistas, além da cor vermelha, é claro: quando os jogadores colorados fazem alguma besteira, eles lembram de uma história do outro lado e, poucas vezes, sequer parecida, por exemplo, um jogador do colorado quebra a perna de um jogador do Grêmio, eles dizem há trinta anos atrás o jogador Everaldo (não o tri) quebrou a perna do Salomão do Inter, pronto, consideram o jogador colorado absolvido, haja vista que no passado aconteceu alguma coisa semelhante.
Os petralhas fazem igualzinho. A manchete o governo Lula Lá vai adiar para o ano que vem a devolução do imposto de renda. Se acontece no governo FHC eles iriam para as ruas, a gurizada das universidades pintariam as caras, botariam um bolinha vermelha na ponta, certa deputada subiria nas mesas da assembléia, teria abaixo assinado na esquina democrática. Mas como foi no governo do “nosso líder”, onde nada pega, eles simplesmente vão dizer: no governo do Figueiredo há 30 atrás também aconteceu, é uma questão de política fiscal, só isso.

OLHOS TRISTES

Na verdade, nunca entendi esta expressão: olhos tristes. Trata-se, isso sim, de olhar triste. O conjunto da expressão é que causa o ar de tristeza. Não há como saber se olhos são tristes, pois são apenas glóbulos imodificáveis.
Quando eu era jovem, as pessoas costumavam dizer que eu tinha os olhos tristes.
Não sei se é verdade. Esta semana, publiquei aqui no blog uma fotos minhas, e alguém disse que olhos tristes eu tinha.
Será que eles voltaram, ou na verdade, nunca saíram daqui?

UM NOBEL PARA OBAMA

O presidente americano Barack Obama recebeu o prêmio Nobel da Paz. Muita gente foi contra, afinal de contas ele dirige um dos maiores países do mundo, atualmente metido em pelo menos duas guerras no Iraque e no Afeganistão.
Estou entre a cruz e a espada quando a este assunto, pois se um por um lado Chavez foi contra o prêmio a Barack, o que em princípio me colocaria a favor, haja vista, que o tiranete só pensa bobagem, de outro lado, o ditador cubano Fidel Castro declarou no diário oficial de Cuba o Granma que é a favor, logo, eu teria que ser contra.
Na verdade, acho que o prêmio é privado, e, por via de conseqüência, seus curadores podem dar o prêmio a quem bem entender. Também entendo que não precisam dar explicações para o mundo
O fato de o governo Obama estar apenas começando também nada significa, pois o prêmio pode ser uma forma de incentivo. O presidente americano embora tenha desmentido a imensa expectativa que sua candidatura não acho que tenha decepcionado.
Os pontos mais importantes do seu governo até aqui não me causaram nenhuma surpresa. No Iraque onde o governo iraquiano já está se ajeitando, pretende retirar as tropas até 2011. No Afeganistão pretende manter as tropas até que tenha a situação sobre controle. Sabe que o Afeganistão representa uma ameaça direta aos EUA.
Na questão interna, já conseguiu a estabilização da economia, sendo que aos poucos os americanos estão voltando à sua vida normal, sob este aspecto da vida.
O ponto alto de sua atuação interna, e na qual tem encontrado maiores obstáculos é a sua tentativa de fazer com que todos os americanos tenham assistência médica. A verdade é que até agora mais de 30 milhões de americanos estão sem qualquer tipo de assistência. Irreparável a sua atuação quanto a este aspecto.
Os americanos sabiam há muito tempo que um dia um negro governaria o país. Somente tomaram o cuidado de escolher a pessoa certa. Não foi por acaso que escolheram um negro de excelente formação intelectual, um Phd, escritor com mais de cinco livros lançados, e dos quais retirava grande parte de sua renda.
Jamais os americanos escolheriam um Lula negro ou branco. Eles quanto a este aspecto são muito responsáveis. Todos os negros americanos que se projetaram tinham boa formação, tais como o pastor Martim Luther King, o General Colin Powell ou a Dra. Condolessa Rice.

A IMPORTÂNCIA DA CÁFILA

Naquele tempo, se chamava primário, depois vinha o ginásio, depois o científico ou clássico, para somente ao final se chegar à faculdade, quando terminavam os estudos, e felizardo tinha profissão liberal ou emprego definido.
Pois foi no tal primário que eu aprendi os coletivos de animais. Vários eu utilizei durante estes meus já longos 56 anos. Outros, no entanto, eu já naquele tempo achava estranho ter que decorá-los.
Coletivo de porco é vara.
Coletivo de boi é boiada.
Coletivo de elefante é manada.
O maior número de elefantes que vi reunido em minha foram três, e num circo. A chance de vir uma manada de elefantes é muito rara.
Pois neste dia 12 de outubro de 2009, finalmente consegui usar um coletivo que eu jurava que não ia jamais poder usar, trata-se de cáfila. Isto mesmo, eu sei o coletivo de camelo.
Eu pensava assim: se um dia eu for a lugar onde tem camelo, das duas uma: ou fico olhando o grupo de camelos, ou vou alugar um para dar uma volta. A única forma de utilizar o coletivo seria chegar para o dono dos camelos e perguntar em voz solene:
- Desta sua CÁFILA qual o camelo que o senhor vai me alugar? Claro que é ridícula a hipótese.
Tá bem já vou contar onde foi.
Eu estava na praia fazendo palavras cruzadas quando junto com outros verbetes necessários estava justamente este coletivo de camelos. Não é que aí pela primeira vez que eu consegui usar este meu importante conhecimento.
Lembrei de fazer esta crônica, em tom de ironia, somente para lembrar quanta coisa inútil ainda se ensina nas escolas, e, de outra banda quanta coisa útil se deixa de por nas cabeças de nossas crianças.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

MAROLINHA?

Falhas geólogicas importantes em zona de alto mar em acomodação causam fenômenos chamados tsunamis. Na prática, significa ondas gigantes batendo na praia, causando grandes prejuízos materiais e pessoais.
Por marola se entende leve ondulação do mar.
Pois o nosso líder LULA LÁ da SILVA disse que os outros países poderiam ser afetados pela tsunamis econômicas, mas no Brasil o fenômeno não passaria de uma marolinha.
Aparentemente ele teria razão. Sobre esta idéia a imprensa baixou manchetes em verdadeira ode ao líder petista.
Ontem, saiu na FOLHA DE SÃO PAULO que a Fazenda determinou à RECEITA FEDERAL que atrase, possivelmente para o ano que vem, parte das restituições do Imposto de Renda.
Ora não se toma uma atitude desta, evidentemente impopular, se não se tem uma causa muito séria.
Acho que vem coisa muito pior por aí.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

I D H

Como Lula Lá vive alardeando que vivemos no melhor dos mundos, a turma por aqui ficou tiririca com o tal de Índice de Desenvolvimento Humano, o qual revelou que a coisa não e bem assim. Nao vivemos num paraíso como entende nosso lider. Eu, como sou uma pessoa bem compreensiva, principalmente quando se trata de entender as coisas que aborrecem os petralhas, procuro ver o nosso 75o. lugar como uma coisa boa.
Vejam só,se não e para festejar, pessoal, estamos na frente de países de primeira linha como o são Ilhas Mauricio, Azerbaijao,Tonga, Paraguai e Sri Lanka. Não e pouca coisa estar na frente deles.
Vejam só estamos ali ali para alcancar outra lista de países de primeira grandeza no meio das nações, tais como Granada, Albânia, Trinidad Tobago, Panama, Venezuela e Cuba.
Tem gente que ainda nos vê como atrasados. Ora, tenham a Santa Paciência,só pode ser má vontade.

CARROÇA: O FUTURO DO PT

O Município de Porto Alegre resolveu, em boa hora,o problema das carroças, estabelecendo um período razoável da saída delas da cidade, especialmente do centro. Teve gente que resolveu entrar em juízo para manter este tipo de transporte no nosso meio. Felizmente perderam a demanda.
Porto Alegre e o maior depositário do atraso que eu já vi na vida.
Ainda bem que há muitos anos nao se veem mais as antigas casinhas - que a gente chamada de patente- pois se existissem, e alguma boa alma resolvessem terminar com elas, haveria alguém para entrar com uma ação tentanto a permanência.
O apego as coisas superadas é tão grande nesta mui legal e valerosa que quando se faz um viaduto se põe uma sinaleira (semáfaro) em baixo ou em cima.

Arquivo do blog

QUEM É ESTE ESCORPIÃO?

Minha foto
PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, Brazil
EU E MINHAS CIRCUNSTÂNCIAS